O TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL NO CONTEXTO DE CRISE DO CAPITALISMO CONTEMPORÂNEO: desvalorização e superexploração

Najara Sousa Medeiros, Bernadete Lourdes Figueiredo de Almeida

Resumo


O presente artigo enfoca estudo realizado sobre as transformações que atingem o trabalho do assistente social, com suas demandas e mediações, no contexto de crise do capitalismo contemporâneo. Toma por fundamento as configurações do trabalho na sociedade capitalista, tempos em que a economia e a ofensiva neoliberal intensificam a precarização da força de trabalho, acompanhada da “satanização” do Estado, a supervalorização do mercado e o acirramento das desigualdades sociais com suas múltiplas faces. Isto põe em debate a direção política do trabalho do Serviço Social nos espaços públicos e privados e a qualidade dos serviços socioassistenciais, na construção de intervenções propositivas e críticas que promovam o fortalecimento da democracia e dos direitos sociais.
Palavras-chave: Crise do capital, assistente social, intensificação, superexploração,
stress.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18764/2178-2865.v21n2p781-796

Direitos autorais 2018 Revista de Políticas Públicas

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

R. Pol. públ.

ISSN 2178-2865 (online)