HOMICÍDIOS: das práticas às inscrições das violências letais

Irme Salete Bonamigo, Luiz Carlos Chaves, Celso Francisco Tondin, Larissa Kammer, Daian Cattani, Ana Carolina Baú

Resumo


Este artigo aborda a violência letal dando visibilidade aos modos de inscrição
(Bruno Latour) produzidos por banco de dados da Polícia Militar de Santa
Catarina, do Sistema de Informação de Mortalidade, do Fórum Brasileiro de
Segurança Pública e reportagens publicadas em jornal de circulação regional.
Realiza procedimentos de métodos mistos. Situa os homicídios entre outras
violências e criminalidades no espaço urbano de Chapecó (SC), destacando-
-se pelo crescimento no período analisado, efetuados predominantemente com
arma de fogo, afetando especialmente jovens do sexo masculino, entre 20 e
29 anos. No processo de produção e circulação das inscrições, analisa que: a
nomenclatura das categorias de classificação incide sobre os cálculos, podendo
tornar índices visíveis ou invisíveis; quando as práticas violentas são transformadas
em inscrições, suas singularidades desaparecem, mas outras nuances são
produzidas nas distribuições e combinações entre elas, permitindo classificar
e comparar tipologias e obter indicativos para pensar políticas de segurança.
Palavras-chave: Violência, homicídio, segurança pública, políticas públicas.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18764/2178-2865.v21n1p425-444

Direitos autorais 2017 Revista de Políticas Públicas

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

R. Pol. públ.

ISSN 2178-2865 (online)