GESTÃO PÚBLICA E POLÍTICA DE MOBILIDADE E ARBORIZAÇÃO: conflitos de interesses

Luis Carlos Araújo de Moraes

Resumo


Atualmente observa-se uma crescente preocupação, por parte da população, de
questões ligadas ao ambiente urbano que afetam a qualidade de vida nas nossas
cidades. A existência de Políticas Públicas, entre elas, a de Meio Ambiente
e de Mobilidade Urbana não garante por si só os anseios da sociedade, pois,
muitas das vezes são pensadas, e implantadas, de maneira independente, por
conseguinte, atuam de formas concorrentes. A motivação deste estudo partiu
da dificuldade de se transitar pelos passeios públicos da cidade de Resende, RJ,
tendo em vista os vários obstáculos existentes, assim como a má conservação
dos mesmos, bem como a degradação da paisagem urbana, além da carência
de pesquisas que relacionem mobilidade, acessibilidade e urbanização urbana.
Assim, o objetivo deste artigo é evidenciar os conflitos existentes entre
as políticas citadas, sugerindo medidas para compatibilizá-las. A metodologia
de pesquisa teve um enfoque qualitativo baseado em um estudo de caso e a
investigação utilizada foi o levantamento bibliográfico, análise documental de
normas, legislações e procedimentos pertinentes às políticas envolvidas além
de registros fotográficos dos conflitos existentes entre elas. O resultado obtido
apontou para o comprometimento não só do ambiente natural, quanto da mobilidade
e, por conseqüência, a sustentabilidade urbana e a qualidade de vida.

Palavras-chave: Políticas públicas, arborização urbana, acessibilidade, qualidade
de vida.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18764/2178-2865.v21n1p245-265

Direitos autorais 2017 Revista de Políticas Públicas

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

R. Pol. públ.

ISSN 2178-2865 (online)