A DUALIDADE HOMEM E NATUREZA: uma análise contextualmente situada em ambiência de riscos e incertezas

Cláudia Maria da Costa Gonçalves, Jean Carlos Nunes Pereira, Thiago Allisson Cardoso de Jesus

Resumo


Pressupondo a contemporaneidade condicionada aos postulados e paradoxos do capitalismo, coloca-se em suspense o paradigma antropocêntrico, investigando as relações entre homem e natureza. Neste sentido, analisam-se o esquecimento do biocentrismo e a multidimensionalidade do direito ao bem-estar e ao futuro. Discutem-se as relações entre desenvolvimento e proteção ambiental em sociedades marcada pela insaciabilidade do consumo. Perscrutam-se as diversas manifestações da desigualdade em sociedades capitalistas. Com base nas categorias da sociologia reflexiva, fez-se uso das técnicas da pesquisa bibliográfica, documental e da análise do discurso. Por fim, algumas considerações representativas da investigação científica em comento.

Palavras-chave: Biocentrismo, sustentabilidade, multidimensionalidade.

 


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18764/2178-2865.v20nEp405-414

Direitos autorais 2017 Revista de Políticas Públicas

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

R. Pol. públ.

ISSN 2178-2865 (online)