HAITI: significado histórico, realidade e perspectivas

Cláudia Alves Durans, Rosenverck Estrela Santos

Resumo


O texto analisa o significado histórico, social e econômico dos 10 anos da ocupação militar do Haiti pelas tropas da Organização das Nações Unidas (ONU) em relação às condições de vida e soberania do povo haitiano. Para isso, recorre a aspectos que marcaram a história desse país, que, no ano de 1793, se levantou contra opressão e a exploração livrando-se da escravidão e, posteriormente, em 1891, contra o domínio francês. Demarca que, sob a liderança de ToussaintL’Ouverture e Dessalines, os jacobinos negros realizaram a primeira revolução negra de escravizados vitoriosa na história da humanidade. Apresenta a trajetória política de motins, golpes e assassinatos de lideranças no contexto da situação econômica e de constituição das classes sociais, que dificultou, no Haiti, a construção de um Estado democrático, ressaltando o papel dos Duvalier. Destaca ainda o papel mais recente das lutas que colocaram Aristide e Préval no poder, mas, que permaneceram com políticas subservientes aos EUA, que invadiram o país em vários momentos de sua história. Por fim, o texto busca compreender o significado da ocupação militar pelas tropas da Minustah, comandada pelo exercito brasileiro, que respondendo a interesses econômicos imperialistas, acirrou as condições sociais de pauperismo, aprofundadas com o terremoto de 2010.

Palavras-chave: Haiti, ONU, Brasil, ocupação militar, superexploração.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18764/2178-2865.v20nEp127-134

Direitos autorais 2017 Revista de Políticas Públicas

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

R. Pol. públ.

ISSN 2178-2865 (online)