PROMOÇÃO DA SAÚDE: concepções que permeiam o ideário de gestores do Sistema Único de Saúde

Carine Vendruscolo, Letícia de Lima Trindade, Karen Cristina Jung Rech, Lucimare Ferraz, Ivete Maroso Krauzer

Resumo


O artigo busca identificar as concepções teórico-filosóficas que permeiam o ideário de gestores da saúde, estabelecendo
a sua aproximação com a Promoção da Saúde (PS). As informações foram produzidas mediante entrevistas semiestruturadas com
12 gestores da Macrorregião Oeste de Santa Catarina, as quais foram transcritas na íntegra e analisadas com base na proposta
operativa para análise de dados qualitativos de Minayo (2010). Emergiram as categorias: Promoção da Saúde como Qualidade de
Vida; Promoção da Saúde como Prevenção de Doenças e Promoção da Saúde como Educação em Saúde. Ressalta que os gestores
compreendem a PS como um dispositivo para a qualidade de vida, construído a partir das políticas públicas, com foco nas ações
intersetoriais e/ou de prevenção das doenças, tendo o Agente Comunitário de Saúde como elemento potencializador das atividades
junto aos indivíduos e coletividades, por meio da educação em saúde. A Carta de Ottawa permeia a concepção dos gestores, contudo,
retoma-se a importância da qualificação destes sujeitos para a consolidação de um modelo de saúde social e participativo, que
contribua para o desenvolvimento do Sistema Único de Saúde e fortalecimento da PS.
Palavras-chave: Promoção da saúde, qualidade de vida, gestão em saúde, trabalho em saúde, Sistema Único de Saúde.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18764/2178-2865.v19n1p315-326

Direitos autorais 2016 Revista de Políticas Públicas

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

R. Pol. públ.

ISSN 2178-2865 (online)