FAMÍLIA NA POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL: avanços e retrocessos com a matricialidade sociofamiliar

Solange Maria Teixeira

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar a política de assistência social e suas deliberações, como o Sistema
Único de Assistência Social, que institui como um dos seus eixos estruturantes a matricialidade sociofamiliar,
abordando as contradições e paradoxos conceituais e práticos desse eixo, que pode promover retrocessos no
campo assistencial, mas também avanços se trabalhado numa perspectiva de totalidade. Conclui-se que não
basta ter a família como centralidade da política; reconhecer sua pluralidade de formas e singularidades; são
necessários serviços públicos de acesso universal dirigidos à família que secundarize suas funções de reprodução
social.
Palavras-chave: Assistência social, familia, proteção social.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2015 Revista de Políticas Públicas

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

R. Pol. públ.

ISSN 2178-2865 (online)