PARTICIPAÇÃO POPULAR NAS POLÍTICAS SOCIOASSISTENCIAIS NA AMÉRICA LATINA: estudo comparativo entre Brasil e Venezuela

Mirella Farias Rocha

Resumo


Este artigo resulta de um esforço crítico-dialético para analisar o desenho da política socioassistencial no Brasil e na Venezuela, com ênfase na problematização do lugar da participação popular, tendo em vista a construção de bases comparativas capazes de traduzir as tendências em curso na América Latina. Essa investigação objetiva, ainda, responder à urgente latinoamericanização do debate, dentro das ciências sociais desenvolvidas desde el sur, considerando a necessidade de pensar horizontes categoriais de análise, assentados na realidade concreta do continente e, assim, propor soluções para a superação do atual modelo. Entendemos que o caráter contraditório da dependência latino-americana, torna-se fator determinante na configuração das estruturas, não apenas econômica, mas sociais e culturais nos países periféricos. Concluímos que as políticas sociais necessitam de conteúdos e estratégias que deflagrem a efetiva participação da população, de forma que seja possível um novo processo de disputa política pelo excedente econômico real, pelas classes trabalhadoras organizadas.

Palavras-chave


Dependência; políticas socioassistenciais; participação popular; América Latina.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2015 Revista de Políticas Públicas

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

R. Pol. públ.

ISSN 2178-2865 (online)