ACOLHIMENTO COM CLASSIFICAÇÃO DE RISCO EM SAÚDE: estudo em Unidade de Pronto Atendimento de Fortaleza

Luciana Maria Nascimento da Silva, Liduína Farias Almeida da Costa, Lúcia Conde de Oliveira, João Bosco Feitosa dos Santos

Resumo


Este artigo tem o objetivo de compreender a trajetória de constituição da proposta de acolhimento com classificação de risco na dinâmica da rede de saúde. É um recorte de uma pesquisa qualitativa sobre a organização das redes de atenção à saúde. O presente enfoque foi produzido a partir de uma Unidade de Pronto Atendimento de Fortaleza, Ceará, mediante utilização das técnicas da observação flutuante e entrevista semiestruturada com profissionais e usuários do serviço; procede, também, de exame de fontes documentais referentes ao tema. Aponta, ainda, que os protocolos previstos pelo Ministério da Saúde foram implantados. Entretanto, conclui que a ideia de acolhimento trazida inicialmente pela Política Nacional de Humanização é modificada em função das práticas gerenciais que dominam a organização dos serviços de saúde no país.

Palavras-chave: Política de Saúde. Sistema Único de Saúde. Redes de Urgência e Emergência. Acolhimento com Classificação de Risco.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18764/2178-2865.v23n1p303-322

Direitos autorais 2019 Revista de Políticas Públicas

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

R. Pol. públ.

ISSN 2178-2865 (online)