Histórico do periódico

A Revista de Políticas Públicas (RPP) é um periódico acadêmico semestral do Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas (PPGPP) da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Em circulação desde o ano de 1995, destina-se à publicação de trabalhos científicos elaborados por pesquisadores maranhenses, brasileiros e de outros países, com o propósito de promover e disseminar a produção do conhecimento, o debate e a socialização de experiências acadêmicas, quando consideradas relevantes para o avanço teórico-prático das Políticas Públicas.
A Revista, que publica trabalhos nos idiomas português, inglês, espanhol e francês, mantém meio de submissão aberto através de duas formas de chamadas: a) Dossiê Temático, com período e tema previamente definidos; b) Fluxo Contínuo para recebimento de artigos e ensaios situados no campo temático das Políticas Públicas. Em ambos os casos, os trabalhos submetidos devem ser inéditos, atender às normas da publicação e avaliados por pareceristas ad hoc, com base nos termos e critérios definidos na Política Editorial da RPP.
Em relação ao Dossiê Temático, incorporado mediante mudança na política editorial implementada pela Revista a partir do Vol.12, n. 2 (jul/dez de 2008), os temas eleitos, além de sempre atuais, expressam a consecução do principal objetivo do periódico, no sentido de contribuir para o avanço teórico-prático das políticas públicas.
Em termos de sua organização, a RPP conta com Comissão Editorial permanente composta por 03 (três) membros; Secretaria Executiva; Consultores ad hoc e Conselho Editorial e Científico formados por pesquisadores de instituições nacionais e internacionais; Corpo Permanente de Especialistas para normalização, revisão linguística dos idiomas português, inglês, francês e espanhol.
Até o v. 20. n.1 a RPP apresentava-se em versão impressa (ISSN 0104-8740) e on line (ISSN 2178-2865), possuindo conceito A2 no Sistema Qualis Periódicos na área de Serviço Social atribuído pela Coordenação de Aperfeiçoamento do Pessoal de Nível Superior (CAPES/MEC) e indexada em 10 (dez) bases de dados nacionais e internacionais.
O público alvo da RPP é formado por Programas de Pós-Graduação, Grupos de Pesquisa, gestores públicos, professores, estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores, profissionais vinculados ao campo das políticas públicas, além de representantes de lutas e movimentos sociais com interesse na temática políticas públicas.
Ao longo da sua trajetória histórica, a RPP tem recebido apoio direto ou indireto das seguintes instituições: Fundação de Amparo a Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA), CAPES, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) e Fundação Sousândrade de Apoio ao Desenvolvimento da Universidade Federal do Maranhão (FSADU). O PPGPP/UFMA, na condição de responsável pela RPP, assume despesas inerentes aos processos de abrigar, editar, publicar e distribuir esse Periódico Científico.
Em termos de estratégias de divulgação, a Revista contou, até o v. 20, n. 1 com dois mecanismos básicos: a) na versão on line, acesso aberto disponível nas páginas http://www.revistapoliticaspublicas.ufma.br/site/e ww.periodicoseletronicos.ufma.br; b) na versão impressa, distribuição de exemplares através de ampla rede composta de instituições de ensino superior públicas e privadas, nacionais e estrangeiras, organizações governamentais e não-governamentais e pesquisadores envolvidos na publicação.
Em reunião do dia 06 de maio de 2015, o Colegiado do PPGPP aprovou, por unanimidade, a transformação da RPP em periódico exclusivamente eletrônico, a partir do seu v. 20, n. 2, acatando proposta da Comissão Editorial. Tal proposta foi justificada com base nos seguintes argumentos: a relevância da versão on line da Revista para a divulgação, recebimento de submissões, avaliação e seleção dos artigos, lançamento e divulgação da versão impressa; a capacidade dessa versão em reunir aspectos consistentes para transformação da RPP em periódico exclusivamente eletrônico, utilizando-se as funcionalidades do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER/IBCT); o atual estágio de desenvolvimento das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs), no qual o meio eletrônico tem se sobressaído, cada vez mais, como canal privilegiado de difusão e acesso ao conhecimento e à informação; e as repercussões negativas nos orçamentos das Universidades Públicas e, em especial, na Pós-Graduação, da crise econômica e do ajuste fiscal, o que se refletem nas dificuldades de captação de recursos para financiar  revistas acadêmico-cientificas, particularmente, suas versões impressas.
Considerando a mudança necessária para a versão exclusivamente on line do periódico, a RPP espera que os diferentes sujeitos sociais envolvidos continuem a referendar sua história e sua atual política editorial.