O lugar do negro em Juiz de Fora - MG: segregação ambiental, espaço e raça.

Ana Claudia de Jesus Barreto

Resumo


Ao analisar os padrões de ocupação das cidades brasileiras pode-se constatar a desigualdade social e racial nas configurações espaciais. Majoritariamente, a população negra e pobre ocupa os espaços menos valorizados pelo capital imobiliário, com menor investimento público e outras vezes apresentam risco ambiental, formando um conjunto de fatores que somados marcam a condição e o lugar do negro na cidade, ratificando assim uma segregação nas dimensões
ambiental, residencial e racial, dificultando a mobilidade social desse grupo
étnico-racial.



Palavras-chave


Negros; Risco ambiental; Espaço; Segregação

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18764/2236-9473.v14n27p197-214

Direitos autorais 2018 Revista Pós Ciências Sociais

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

REPOCS

ISSN 2236-9473 (online)

ISSN 1983-4527 (impresso)