Ciência, política e religião: o posicionamento dos parlamentares evangélicos sobre as pesquisas com células-tronco

Rafael Bruno Gonçalves

Resumo


O presente artigo parte da análise do comportamento discursivo do segmento evangélico na Câmara dos Deputados durante a 52º Legislatura a partir de pronunciamentos nas sessões do Grande Expediente. Atentos aos temas que entraram em pauta durante o exercício legislativo, tais parlamentares  evangélicos dedicaram boa parte dos seus discursos ao Projeto de Lei de Biossegurança nº. 2.401/2003, que tratava de questões relacionadas a pesquisas com células- tronco embrionárias Nesta pesquisa, o principal
referencial é a teoria desenvolvida por Ernesto Laclau e Chantal Mouffe, autores
que identificam o discurso enquanto prática política. Ao abordar o comportamento discursivo evangélico, alicerçado nessa teoria,
o presente trabalho pretende trazer subsídios para o campo das ciências sociais sobre as interfaces entre política e religião no poder legislativo brasileiro, verificando, assim, a existência ou não de uma bancada evangélica
coesa neste espaço político de atuação.



Palavras-chave


Evangélicos; Câmara dos Deputados; Discurso; Lei de Biossegurança

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18764/2236-9473.v14n27p145-168

Direitos autorais 2018 Revista Pós Ciências Sociais

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

REPOCS

ISSN 2236-9473 (online)

ISSN 1983-4527 (impresso)