NAÇÃO ANGOLA: sincretismo na contramão

Ivete M. Previtalli

Resumo


Este trabalho tem por objetivo mostrar que a “autenticidade ou originalidade” não depende, necessariamente, da pureza. Através da análise de algumas questões, colocadas pelos adeptos do candomblé de nação Angola de São Paulo, procuraremos mostrar que ambas as tradições, consideradas como puras ou misturadas, podem ser únicas. Conforme Stewart e Shaw, o que as faz autênticas e válidas, é outra questão que implica em uma matéria discursiva envolvendo poder, retórica e persuasão. Desse modo, estas duas tradições, supostamente puras ou sincréticas, podem ser autênticas se forem aclamadas como tal e se possuírem um domínio histórico próprio. Sob este ponto de vista, poderíamos, de fato, discutir se as misturas sincréticas não seriam únicas, uma vez que são historicamente irreproduzíveis.

Palavras-chave: Sincretismo. Nação Angola. Candomblé. Afro-brasileiro.

This paper aims to show that the "authenticity or originality" does not necessarily depends on purity. Through the analysis of some questions posed by followers of candomblé Angola of São Paulo, the paper intends to show that both traditions said to be pure or mixed may be unique. According to Stewart and Shaw, what makes them authentic and valid, is another question involving a discursive matter, power, rhetoric and persuasion. Thus, both traditions supposedly pure or supposedly syncretic may be authentic if they are acclaimed as such and if they are an uniquely historical possession. From this point of view, we could indeed argue whether the syncretic mixtures would not be unique, since they are historically irreproducible.

Keywords: Syncretism. Angola nation. Candomblé. Afro-Brazilian religion.

Palavras-chave


Religião; Sincretismo religioso; Antropologia

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2011 Revista Pós Ciências Sociais

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

REPOCS

ISSN 2236-9473 (online)

ISSN 1983-4527 (impresso)