Cadeias de valor sustentáveis e trabalho: dos conceitos à prática

Lee Pegler

Resumo


O objetivo deste artigo é explorar o potencial de melhoria dos direitos trabalhistas dentro de cadeias de valor sustentáveis. Uma preocupação central é como aprimorar as lentes conceituais que usamos para analisar a posição e o papel do trabalho nas cadeias. A questão fundamental que serve de ponto de partida em relação à sustentabilidade é, portanto, se a “lógica” dos dirigentes das cadeias (por exemplo, das firmas líderes, compradores, financiadores e coordenadores de logística) podem ser compatíveis com a “lógica” daqueles que fornecem e ajudam a construir o produto. A construção de uma metodologia para este tipo de estudo deve envolver uma série de observações empíricas e debates conceituais relacionados às cadeias globais de valor (CGV) – isto é, processos físicos de produção que ligam países, mas também processos que incorporam mensagens (“lógicas”) que são transmitidas através do espaço. A questão é sobre como descrevemos e conceitualizamos a gestão, a evolução e a legitimidade da(s) mensagem(ns) imersas nestas cadeias.


Palavras-chave


Cadeias globais de valor; Direitos trabalhistas; Sustentabilidade

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.18764/2236-9473.v12n24p167-204

Direitos autorais 2015 Revista Pós Ciências Sociais

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

REPOCS

ISSN 2236-9473 (online)

ISSN 1983-4527 (impresso)