AÇÕES E CRÍTICAS SOCIOAMBIENTALISTAS DOS MORADORES DAS ÁREAS DE VÁRZEA E A CONSTRUÇÃO DE MODELOS DESCENTRALIZADOS DE GESTÃO DOS RECURSOS PESQUEIROS NO AMAZONAS

Ana Paula Perrota

Resumo


O artigo discute a mobilização política dosmoradores das áreas de várzea de diferenteslocalidades do Estado do Amazonas,que se organizaram desde os anos 1970 afim de reverter a situação de “escassez” dopescado, decorrente do aumento da exploraçãocomercial. Para responder a essa situação,pensada como uma ameaça ao seusistema de vida, os moradores buscaraminstaurar, através da formação do chamadoMovimento de Preservação dos Lagos(MPL), um plano de manejo, com outroconjunto de práticas capaz de regular asformas de usufruto dos recursos naturaisentre os próprios moradores e entre os novosatores sociais que se impuseram nesseterritório. Nesse caso, será visto que a partirda utilização das categorias ambientalistasapreendidas na sua interação comONGs ambientais, agentes governamentaise membros das equipes religiosas, o MPLadquiriu critérios de legitimidade e legalidadeque favoreceram a conquista de algumasde suas principais reivindicações.

Palavras-chave


Conflitos ambientais. Socioambientalismo. Políticas públicas. Populações tradicionais.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2014 Revista Pós Ciências Sociais

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

REPOCS

ISSN 2236-9473 (online)

ISSN 1983-4527 (impresso)