Maria Firmina dos Reis e a imprensa literária no Maranhão do século XIX

Rafael Balseiro Zin

Resumo


Veiculados a partir de 1821 e representados por jornais e revistas que abordavam temas diversos, os
periódicos maranhenses oitocentistas tiveram um importante papel no desenvolvimento político e cultural
da província, especialmente na capital, exercendo acentuada influência sobre a opinião pública
e a intelectualidade locais. Por se tratar, entre outros assuntos, de publicações dedicadas à literatura,
esses meios conseguiram reunir um conjunto expressivo de novos autores e autoras, dentre os quais,
podemos destacar o nome de Maria Firmina dos Reis (1822-1917). Embora colocadas à margem ou
mesmo tendo sido silenciadas pelos críticos e historiadores da literatura brasileira, a produção literária
empreendida por nossas antepassadas foi presença constante nos jornais e revistas do século XIX,
tanto nos dirigidos por homens quanto nos inúmeros criados e mantidos por elas próprias. Levando
em consideração esse cenário, o objetivo desse trabalho é analisar, justamente, como se deu a participação
dessa importante escritora nos periódicos maranhenses da época e como essa participação
possibilitou a ela alcançar maior visibilidade e prestígio em meio à crítica e ao público leitor.


Palavras-chave


Maria Firmina dos Reis. Imprensa literária. Maranhão. Brasil. Século XIX.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Rodrigo Estramanho de. A realidade da ficção: ambiguidades literárias e sociais em “O Mulato”

de Aluísio Azevedo. São Paulo: Alameda, 2012.

CANDIDO, Antonio. O escritor e o público. In: ______. Literatura e Sociedade: estudos de teoria e história

literária. 11ª ed. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2010, p. 83-98.

DUARTE, Constância Lima. Imprensa feminina e feminista no Brasil: século XIX. Dicionário ilustrado.

Belo Horizonte: Autêntica editora, 2016.

DUARTE, Eduardo de Assis. Maria Firmina dos Reis e os primórdios da ficção afro-brasileira. Posfácio.

In: REIS, Maria Firmina dos. Úrsula (romance); A escrava (conto). Florianópolis: Editora Mulheres/

Belo Horizonte: PUC Minas, 2009, p. 263-279.

JORGE, Sebastião. A imprensa do Maranhão no século XIX (1821-1900). Homenagem aos 200 anos

da imprensa no Brasil. São Luís: Lithograf Editora, 2008.

LOBO, Luiza. Autorretrato de uma pioneira abolicionista. In: ______. Crítica sem juízo. Rio de Janeiro:

Francisco Alves, 1993, p. 222-238.

______. Maria Firmina dos Reis. In: DUARTE, Eduardo de Assis (Org.). Literatura e afrodescendência

no Brasil: antologia crítica (vol. 1: Precursores). Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011, p. 111-126.

LOPES, Antônio. História da imprensa no Maranhão (1821-1925). Departamento de Imprensa Nacional:

Rio de Janeiro, 1959.

MARTINS, Ricardo André Ferreira. Breve panorama histórico da imprensa literária no maranhão oitocentista.

In: Animus. Revista interamericana de comunicação midiática, v.18, jul./dez., 2010, p. 107-129.

MORAIS FILHO, José Nascimento. Maria Firmina, fragmentos de uma vida. São Luís: Governo do

Estado do Maranhão, 1975.

MOTT, Maria Lúcia de Barros. Submissão e resistência: a mulher na luta contra a escravidão. São Paulo:

Contexto, 1988.

MUZART, Zahidé Lupinacci. Uma espiada na imprensa das mulheres no século XIX. In: Estudos Feministas,

Florianópolis, v. 11, n .1, jan./jun., 2003, p. 225-233.

PINTO, Ana Flávia Magalhães. Imprensa negra no Brasil do século XIX. São Paulo: Selo Negro Edições,

RICUPERO, Bernardo. O romantismo e a ideia de nação no Brasil (1830-1870). São Paulo: Martins

Fontes, 2004.

TELLES, Norma. Escritoras, escritas, escrituras. In: PRIORE, Mary Del (Org.). História das mulheres

no Brasil. São Paulo: Contexto, 1997, p. 401-442


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Interdisciplinar em Cultura e Sociedade

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

VISITANTE MUNDIAL