Gone Home: uma análise do videogame sob a perspectiva do gótico

Naiara Sales Araújo Santos, Ludmila Gratz Melo

Resumo


Videogames podem oferecer um campo ideal para avanços na maneira como contamos histórias.
Um jogo eletrônico é constituído por elementos visuais, sonoros e interativos, contribuindo para o
desenvolvimento de narrativas cada vez mais complexas e imaginativas. No jogo Gone home, desenvolvido
pela equipe da The Fullbright Company em 2013, uma narrativa gótica se desenrola em
um espaço interativo e cheio de detalhes. No videogame, o jogador explora uma casa aparentemente
assombrada e cheia de objetos que ajudam a saber o que aconteceu com a família que morava ali. O
jogo parece conter características de uma narrativa gótica, que permeiam o espaço onde ele se desenrola.
Neste artigo, propõe-se elencar os elementos góticos presentes na trama e analisar o espaço onde
ela é desenvolvida, a fim de apontar algumas peculiaridades dos espaços na ficção gótica. Para tanto,
serão utilizados teóricos do gótico como Andrew Smith (2007) e Jerrold E. Hogle (2002) e teóricos
do espaço, como Gaston Bachelard (1974).


Palavras-chave


Videogames. Gótico. Espaço Gótico. Gone Home.

Texto completo:

PDF

Referências


BACHELARD, Gaston. A Poética do Espaço. In: CIVITA, Victor. Os Pensadores: XXXVIII. São

Paulo: Abril Cultural, 1974, p. 339-512.

DE SÁ, Daniel de Serravalle. Gótico Tropical: o sublime e o demoníaco em O Guarani. Salvador:

EDUFBA, 2010.

GONE Home. Portland: Fullbright, 2013. Mídia virtual, sonoro, cor. Microsoft Windows

HOGLE, Jerrold E. Introduction: the Gothic in western culture. In: HOGLE, Jerrold E. The Cambridge

Companion to Gothic Fiction. Cambridge: Cambridge University Press, 2002.

KAHANE, Claire. Gothic Mirrors and Feminine Identity. The Centennial Review. East Lansing, v.

, n. 1, p. 43-64, 1980.

LLOYD-SMITH, Allan. American Gothic Fiction: An Introduction. Nova York – Londres: Continuum,

MARINOVICH, Sarolta. The Discourse of the Other: Female Gothic in Contemporary Women’s

Writing. Neohelicon. East Lansing, v. 21, n. 1, p. 189-205, 1994.

MONTEIRO, Maria Conceição. Na Aurora da Modernidade: a ascensão dos romances gótico e

cortês na literatura inglesa. Rio de Janeiro: Editora Caetés, 2004.

NG, Andrew Hock Soon. Women and Domestic Space in Contemporary Gothic Narratives: The

House as Subject. New York: Palgrave Macmillan, 2015.

PALMER, Paulina. Lesbian Gothic: Transgressive Fictions. In: FAZENDO GÊNERO 9: DIÁSPORAS,

DIVERSIDADES, DESLOCAMENTOS, 9., 2010, Florianópolis. Anais... Florianópolis: Universidade

Federal de Santa Catarina, 2010. p. 1-5.

ROUSE, Richard. Match Made in Hell: The inevitable success of the Horror Genre in Video Games.

In: PERRON, Bernard (Ed.). Horror Video Games: Essays on the Fusion of Fear and Play. Jefferson:

McFarland & Company, Inc., 2009. p.15-25.

SMITH, Andrew. Gothic Literature. Edinburgh: Edinburgh University Press, 2007.

STEIN, Karen F. Monsters and Madwomen: Changing Female Gothic. In: Julian E. Fleenor (Ed.).

The Female Gothic. Montreal: Eden, 1983. p. 123-137.

WILLIAMS, Anne. Art of Darkness: A Poetics of Gothic. Chicago: U of Chicago P, 1995.

ZIVLEY, Sherry Lutz. The phenomenology of space - attic memories and secrets. In: Twentieth international

conference on literature and psychoanalysis, 20, 2003, Londres. Anais…Londres: University

of Greenwich, 2003, não paginado.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Interdisciplinar em Cultura e Sociedade

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

ISSN 2447-6498

INDEXADORES, DIRETÓRIOS:

Directory of Open Access Journals


Thumbnail


VISITANTES NO MUNDO DA REVISTA INTERDISCIPLINAR EM CULTURA E SOCIEDADE: