ESTUDO SOBRE A ADESÃO AO EXAME CITOPATOLÓGICO DE PAPANICOLAU EM UM GRUPO DE MULHERES / STUDY ABOUT THE ACCEPTANCE TO THE PAPANICOLAU CYTOPATHOLOGIC TEST IN GROUP WOMEN

Albênia Façanha de Oliveira, Carlos Leonardo Figueiredo Cunha, Ivan de Freitas Viégas, Ivan Sobreira de Figueiredo, Luciane Maria de Oliveira Brito, Maria Bethânia da Costa Chein

Resumo


Introdução. O câncer do colo uterino ainda é um problema de Saúde Pública em países em desenvolvimento, com altas taxas de prevalência e mortalidade. Objetivos. Identificar o conhecimento sobre o exame colpocitológico de Papanicolaou e identificar os fatores facilitadores e dificultadores para sua adesão. Métodos. estudo realizado com 404 mulheres a partir de 15 anos, residentes na Vila São Luís, área coberta pelo Programa Saúde da Família (PSF), no município de São José de Ribamar-MA. Foi utilizado um questionário individual padronizado, mediante visita domiciliar, no período de maio a junho de 2004. Resultados. Os resultados revelaram que a maioria das mulheres estavam na faixa etária de 20 a 29 anos (29,5%), mestiças (51,2%), não economicamente ativas (79%), vivendo em união consensual (33,4%), possuindo ensino fundamental incompleto (51,2%), com renda familiar entre 1 a 2 salários mínimos (58,2%). A cobertura do exame preventivo foi de 74,3%, sendo realizado entre 1 a 2 vezes pela maior freqüência de mulheres (31,4%). A maioria das mulheres obteve informações sobre o exame preventivo
através dos profissionais de saúde (60,4%). Em relação ao conhecimento das mulheres entrevistadas sobre o exame preventivo, observa-se que a maioria (60,9%) teve uma resposta de nível bom, indicando a importância do exame para detectar o câncer de colo uterino e suas lesões precursoras. Dentre as dificuldades relatadas pelas mulheres para realização do exame, a mais apontada foi a dificuldade de marcar o exame (32,2%). Conclusão. Embora a adesão e o conhecimento ao exame tenham sido relativamente altos, ainda são insuficientes para produzirem impacto na redução das taxas de incidência e mortalidade por câncer do colo uterino na população feminina.

Palavras-chave: Saúde da mulher. Papanicolaou. Câncer do colo uterino.

Abstract

Introduction. The cervical cancer is still a public health problem in developing countries with high prevalence and mortality
rates. Objective. To identify the information about the Pap smear test as well as the factors that facilitate and hamper the
acceptance to this test. Methods. The study was consisted of 404 women with minimum age of not less than 15 from Vila Sao Luis, which is covered by the Family Health Program in the municipality of São José de Ribamar, MA. We made home visits and interviewed the participants through an individual standardized questionnaire from May to June 2004. Results. Most women (29.5%) were 20 to 29 years of age, 51.2% were mestizo, and 79% were not economically active.  33.4% of females were in a consensual union, 51.2% had incomplete elementary school and 58.2% had a family income that ranges from 1 to 2 minimum wages. The preventive exam coverage was 74.3%, which was performed 1 to 2 times by most women (31.4%). Most women obtained information about the Pap smear through health professionals (60.4%). Regarding information of the participants about Pap smear test, it was observed that most individuals (60.9%) had a good level of responses about the importance of the preventive exam to detect cervical cancer and premalignant lesions. Among the difficulties reported by the participants for performing the exam, the most frequently mentioned was the difficulty of booking an appointment (32.2%). Conclusion. Although acceptance and information about the test were relatively high, they are not still sufficient for reducing the incidence and mortality from cervical cancer in women.

Keywords: Women's health. Papanicolaou. Cervical cancer.


Palavras-chave


Saúde da mulher; Papanicolaou; Câncer do colo uterino; Saúde pública; Saúde da família; Exame colpocitológico de Papanicolaou

Texto completo: PDF PDF

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Rev Pesq. Saúde

ISSN 2236-6288 (online)

ISSN 2179-6238 (impresso)