COMPLEXIDADE DOS CUIDADOS DE ENFERMAGEM EM CRIANÇAS SUBMETIDAS À CIRURGIA CARDÍACA / NURSING CARE COMPLEXITY IN CHILDREN UNDERGOING CARDIAC SURGERY

Laís Machado Hoscheidt, Maria Antonieta Pereira de Moraes, Maria Carolina Witkowski

Resumo


Introdução: A complexidade clínica e hemodinâmica de crianças submetidas à cirurgia cardíaca difere entre os tipos de cardiopatias congênitas. Avaliar a complexidade dos cuidados de enfermagem prestados a estas crianças proporciona uma adequada terapêutica e assistência com equipe qualificada. Objetivo: Avaliar a complexidade do cuidado de enfermagem em crianças com cardiopatias congênitas no pós-operatório de cirurgia cardíaca. Métodos: Estudo transversal prospectivo, com 111 crianças submetidas à cirurgia cardíaca, de ambos os sexos, com idade entre zero e doze anos, internadas na unidade de cuidado intensivo pediátrico, entre julho de 2011 a junho de 2012. Os dados foram coletados por meio de um formulário contendo características clínicas, dados antropométricos e patologias associadas. A complexidade do cuidado foi avaliada nas primeiras 72 horas de pós-operatório, por meio de um instrumento adaptado da escala Neonatal “Therapeutic Intervention Scoring System (NTISS)”. A classificação dos pacientes foi realizada a partir da pontuação da escala, estratificando como baixa, média ou alta complexidade. Resultados: A idade média foi de 1,1 ± 2,8 anos, sendo 64 (57,7%) do sexo masculino. A cirurgia mais prevalente foi à correção total de tetralogia de Fallot em 15 (13,5%) dos pacientes. O tempo médio de internação foi de 5,0 ± 13,8 dias. No primeiro dia de pós-operatório totalizou-se 110 (99,1%) crianças com alta complexidade de cuidados de enfermagem. Conclusão: Crianças com cardiopatias congênitas, submetidas à cirurgia cardíaca necessitam de complexos cuidados de enfermagem. Avaliar a complexidade destes cuidados proporciona um adequado dimensionamento de recursos humanos, oferecendo qualidade e segurança da assistência prestada.

Palavras-chave: Pediatria. Procedimentos Cirúrgicos Cardiovasculares. Cuidados de Enfermagem.

Abstract
Introduction: The clinical and hemodynamic complexity of children undergoing cardiac surgery differs between types of congenital heart disease. The evaluation of the complexity of nursing care provided to these children promotes adequate therapy and assistance with qualified staff. Objective: To evaluate the complexity of nursing care in children with congenital heart disease in the postoperative period of cardiac surgery. Methods: Prospective cross-sectional study with 111 children undergoing cardiac surgery, being of both sexes, between zero and twelve years of age, and admitted to the pediatric intensive care unit between July 2011 to June 2012. Data were collected through a form containing clinical characteristics, anthropometric data and associated pathologies. The complexity of care was assessed in the first 72 hours postoperatively, using a scale adapted from the Neonatal Therapeutic Intervention Scoring System (NTISS) instrument. The classification of patients was performed from the score of the scale being stratified as low, medium or high complexity. Results: The mean age was 1.1 ± 2.8 years being 64 (57.7%) males. The most prevalent surgery was the total correction of tetralogy of Fallot in 15 (13.5%) of patients. The mean hospital stay was 5.0 ± 13.8 days. In the first postoperative day we found a total of 110 (99.1%) children with high complexity of nursing care. Conclusion: Children with congenital heart disease undergoing cardiac surgery require complex nursing care. Evaluating the complexity of these care procedures provides an appropriate dimensioning of human resources and in turn offers quality and safety of the care provided.

Keywords: Pediatrics. Cardiovascular Surgical Procedures. Nursing Care.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2014 Revista de Pesquisa em Saúde

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Rev Pesq. Saúde

ISSN 2236-6288 (online)

ISSN 2179-6238 (impresso)