ELITE IMPERIAL BRASILEIRA: Da inspiração à prática do agir político

Cesar Machado Carvalho, Geraldo José Ferraresi De Araujo

Resumo


 A pesquisa parte da concepção que a independência do Brasil ocorre sob o prisma das propostas liberais ocorridas entre os séculos XVIII e XIX. Porém na prática observamos uma postura da elite política, norteada por concepções elitistas, autoritária e excludente que se distanciava das premissas liberais. Como resultado, o Brasil adota um regime monárquico que tem como princípios o autoritarismo e o centralismo. O objetivo do trabalho é realizar um estudo sobre os ideais e a prática que nortearam o agir político da elite brasileira no processo de independência e durante os período Imperial e Regencial. Como método, utilizamos o levantamento bibliográfico. Foram consultados autores como Raymundo Faoro, Emília Viotti da Costa e Wanderley Guilherme dos Santos. Em suma os ideais liberais que nortearam as manifestações por independência cairiam em desuso pela mesma elite que os aclamavam e o Brasil seria guiado por uma elite que em sua maioria adotaria prática política de autoritarismo, exclusão e elitismo. Em virtude disso e estrutura social do Império Brasileiro se caracterizaria por ser escravocrata e patriarcalista.


Texto completo:

PDF


Direitos autorais