MARCHA DO INÍCIO AO FIM: IDEOLOGIA E MEMÓRIA DA/NA LÍNGUA

Luiza Greff, Bruna Cabrera

Resumo


Voltando-nos para uma discussão que entrelaça saberes da Análise de Discurso pecheutiana e da História das Ideias Linguísticas, dedicamos ao discurso dicionarístico uma leitura materialista, compreendendo-o como afetado tanto pelas condições de produção, em que se constrói, quanto por sua relação com os sujeitos e a ideologia. Dedicamo-nos a analisar os verbetes para o termo marcha em dicionários da Real Academia Espanhola, exemplares dos séculos XIX, XX e XXI. Tal busca faz parte de uma investigação que visa responder: quais os efeitos de sentido em circulação quando o nome marcha é empregado na nomeação do evento que configura nosso objeto de estudo, a Marcha del Silencio? Mobilizando noções como memória, ideologia e efeito metafórico, este artigo apresenta algumas reflexões sobre este tema.


Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2016 Littera on line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Littera online

ISSN 2177-8868

Indexação: