O DISCURSO DE OUTREM: UM OLHAR SOBRE ESFERAS SOCIAIS NO ROMANCE MALHADINHA , DE JOSÉ EXPEDITO RÊGO

Elimar de Barros

Resumo


RESUMO: A acepção bakhtiniana de dialogismo considera que o discurso literário, principalmente, no romance, é povoado de entonações e marcas sutis que resgatam as vozes de outros. A linguagem romanesca é, assim, impregnada de vozes oriundas de diferentes instâncias sociais. O dizer do narrador é entrecortado pelo discurso citado, responsável por transmitir as enunciações de outrem, e que pode estar, ou não, em sintonia com o discurso do mesmo. Nessa perspectiva, este artigo tem por objetivo investigar, como se manifesta, o discurso de outrem, no romance Malhadinha; e perceber como o discurso citado apresenta, neste romance, as vozes advindas de diferentes esferas sociais, como religião e sistema social patriarcalista, identificando as relações de sentido estabelecidas por esse discurso. O aporte teórico baseia-se, principalmente, nos estudos de BAKHTIN (2009) sobre o discurso de outrem e o discurso citado; BAKHTIN (2010) sobre dialogismo (o discurso no Romance) e SAFFIOTI (2004) sobre patriarcalismo.


Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2015 Littera on line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Littera online

ISSN 2177-8868

Indexação:

Resultado de imagem para latindex

Resultado de imagem para miar Information Matrix for the Analysis of Journals

Notícias