DO BINARISMO DE GÊNERO AO AFETO MELANCÓLICO NO CONTO “A IMITAÇÃO DA ROSA”

Nelson Eliezer Ferreira Júnior

Resumo


Efetuamos, nesse artigo, uma leitura do conto “A imitação da rosa”, de Clarice Lispector, a partir da identificação dos pontos de contato entre as pressões regulatórias de gênero percebidas no decorrer da narrativa e os índices de melancolia na constituição da protagonista, especialmente a partir do valor simbólico das rosas no enredo do conto. Para tanto, buscamos uma aproximação entre as reflexões de Butler (2016) e Connell (2015) sobre a construção e efeitos da categoria gênero e os postulados psicanalíticos descritos por Freud (1996) e aplicados à crítica literária por Correia (2004). Dessa forma, pretendemos apontar para a pertinência do diálogo entre os estudos das marcas de melancolia na literatura e o campo da crítica que vem abordando as obras de Clarice Lispector sob a perspectiva da crítica de gênero.


Palavras-chave


Clarice Lispector; Gênero; Melancolia.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2019 Littera on line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Littera online

ISSN 2177-8868

Indexação:

Resultado de imagem para latindex

Resultado de imagem para miar Information Matrix for the Analysis of Journals

Notícias