A EXPERIÊNCIA ESTÉTICA COMO TERCEIRA VIA: verdade e fingimento em Dante Alighieri e Alexei Bueno

Gabriela Oliveira

Resumo


Barilli (1994) destaca que a experiência estética nascida da ânsia de superar a rotina e renovar as visões de mundo, tem por fim gerar no apreciador uma nova experiência mais intensa, plural e rica. Este artigo parte da noção de poesia como fingimento, presente em Gullar e Pessoa, apresentando, depois, a ideia da poesia como portadora de uma verdade, em Dante e Bueno, e propõe-se a demonstrar que tais concepções não são ideias excludentes entre si, sendo a experiência estética aquilo que as unifica, pois, arte é criação que formula um registro próprio e, portanto, verdadeiro. Tem assim, como categorias de análise; fingimento poético, verdade e experiência estética. Concentrando-se na trilogia de Bueno; A via Estreita (1995), A Juventude dos deuses (1996) e Entusiasmo (1997), esta pesquisa, de caráter bibliográfico, demonstra ser na singularidade da poesia, que passa por criação, forma e expressão, que se dá o acontecimento estético.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2018 Littera on line

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Littera online

ISSN 2177-8868

Indexação:

Resultado de imagem para latindex

Resultado de imagem para miar Information Matrix for the Analysis of Journals

Sumários.org