O TAMBOR PRA NÓS NEGROS É UMA SEGURANÇA DE VIDA: o tambor de crioula como instrumento de luta e resistência do território quilombola Santa Rosa dos Pretos

Joércio Pires da Silva

Resumo


“O tambor pra nós negros é uma segurança de vida: o negro não poderá se separar da sua maior herança; o tambor é uma afirmação da nossa identidade”. Mesmo diante das marcas do sistema escravista, as comunidades quilombolas mantiveram vivas todo um sistema de usos e costumes, que fazem parte de suas culturas e contribuem para a manutenção do território étnico. Buscamos neste artigo mostrar a importância do tambor de crioula como instrumento de luta e resistência em Santa Rosa dos Pretos frente a chegada de grandes empreendimentos na comunidade. Neste sentido, evidenciamos que “ninguém resistia ao que o negro resistiu, branco nenhum resiste, não é à toa que você toca tambor a noite inteira e você não sente nada”

Texto completo:

PDF

Referências


CABRAL, Amílcar – Análise de Alguns tipos de resistência. Lisboa: Seara Nova, 1975.

FAUSTINO, C.; FURTADO, F. Mineração e violações de direitos: o Projeto de Ferro Carajás S11D, da Vale S.A. Açailândia: DHESCA/Brasil, 2013.

GILROY, P. O Atlântico Negro. Modernidade e dupla consciência, São Paulo, Rio de Janeiro, 34/Universidade Cândido Mendes – Centro de Estudos Afro-Asiáticos, 2001.

LUCCHESI, F. Relatório Antropológico de Identificação do Território Quilombola de Santa Rosa (MA). Brasília: INCRA, 2008.

:PIRES, J. TAMBOR NÃO É SÓ TRADIÇÃO, É TAMBÉM FORÇA E RESISTÊNCIA: o Tambor de Crioula como instrumento de formação no Território Quilombola Santa Rosa dos Pretos. Curso de Pedagogia da Terra, UFMA, Bacabal, 2017, 59 páginas.

PORTO-GONÇALVES, C. W. O Campo se Manifesta A Questão (da Reforma) Agrária. In: Relatório Conflitos por Terra CPT, 2014.

PROJETO VIDA DE NEGRO – 10 anos de luta pela regularização e titulação das Terras de Preto do Maranhão. Organizado por SMDDH/CCN em 1998.

BRUSTOLIN, C. ANJOS, J.C.G. SANTOS, D. Um corredor para exportações: o território de santa rosa dos pretos nas v(e)ias abertas da mineração in S’ANTANA JUNIOR, H. TEISSERENC, M.J. BRUSTOLIN, C. Desenvolvimento em questão: projetos desenvolvimentistas, resistências e conflitos socioambientais. São Luis: EDUFMA, 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Kwanissa: Revista de Estudos Africanos e Afro-Brasileiros

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 

Kwanissa: Revista de Estudos Africanos e Afro-Brasileiros

ISSN 2595-1033

INDEXADORES: 

VISITANTES DA KWANISSA NO MUNDO: