LINEAR AND SPATIAL VARIABILITY OF FODDER PRODUCTIVE COMPONENTS CORRELATED WITH MICRONUTRIENT LEVELS OF THE SOIL

Pamela Kerlyane Tomaz, Rafael Montaneri, Marcelo Andreotti, Alan Rodrigo Panosso

Resumo


ABSTRACT: The knowledge over the soil chemical analysis results is one of the initial steps for the determination of the fertilizer recommendation, given that, for micronutrients in pastures, the works are scarce. The aim of this study was to evaluate the linear and spatial variability of the soil micronutrient levels in an experimental area under pasture, with Urochloa spp. hybrids, in a total of 17.6 ha. The predominant soil in the area was the Dystrophic Red-Yellow Argisol. In previous years, maize and sugarcane were cultivated in the researched area. A regular sampling mesh of 30 x 30 m was used, with 195 points of soil collect at 0.0-0,1 m and 0.1-0.2 m depths and a complete chemical analysis (390 samples) was conducted.  The evaluated plant attributes were the height (Hei) and the dry mass of fodder production (DMF). The soil attributes were B, Zn, Cu, Fe and Mn. Mathematical models depending on B, Fe, and Mn for the 0.0-0.1 m depth could explain the DMF productivity. The higher ranges of spatial dependence were observed for the attributes of DMF and Fe in the depths of 0.0-0.1 m and 0.1-0.2 m. The average use of the results can provide errors when taking decisions about the micronutrients fertilization, by its high spatial variability.

Key words: Spatial dependence, soil chemistry, geostatistics.

 

VARIABILIDADE LINEAR E ESPACIAL DE COMPONENTES PRODUTIVOS DA FORRAGEM CORRELACIONADOS COM TEORES DE MICRONUTRIENTES DO SOLO

 

RESUMO: O conhecimento sobre os resultados da análise química do solo é um dos passos iniciais para determinar a recomendação de adubação, sendo que para micronutrientes em pastagens os trabalhos são escassos. O objetivo com este estudo foi avaliar a variabilidade linear e espacial dos teores de micronutrientes do solo em uma área experimental sob pastagem, com híbridos de Urochloa spp., num total de 17,6 ha. O solo predominantemente na área foi o Argissolo Vermelho-Amarelo distrófico. Em anos anteriores na área pesquisada foi cultivado milho e cana-de-açúcar. Foi utilizada uma malha de amostragem regular de 30 x 30 m, com 195 pontos de coleta de solo em profundidades de 0-0,10m e 0,10-0,20m e realizada uma análise química completa (390 amostras). Os atributos de planta avaliados foram a altura (Alt) e a produção massa seca da forragem (MSF). Os de solo foram os teores B, Zn, Cu, Fe, Mn e. A produtividade de (MSF) pôde ser explicada, por modelos matemáticos em função do B, Fe e Mn para a profundidade de 0.0-0.1 m. Os maiores alcances da dependência espacial foram observados para os atributos de MSF e Fe nas profundidades de 0.0-0.1 m e 0.1-0.2 m. A utilização da média dos resultados pode proporcionar erros na tomada de decisões quanto a adubação com micronutrientes, pela alta variabilidade espacial.

Palavras-chave: Dependência espacial, química do solo, geoestatística.


Palavras-chave


Spatial dependence; Soil chemistry; Geostatistics

Texto completo:

PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.22615/2526-1746-jgm-2.1-5886

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Journal of Geospatial Modelling

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN 2526-1746