Extrato de alho na quebra do repouso vegetativo de amoreira-preta cultivada organicamente

João Paulo Tadeu Dias, Ezequiel Lopes do Carmo, Jaime Duarte Filho, Elizabeth Orika Ono

Resumo


Avaliou-se a aplicação de extrato de alho na quebra do repouso vegetativo de amoreira-preta cv. Tupy, no período de agosto a novembro de 2009. O delineamento experimental utilizado foi blocos casualizados, com seis tratamentos e quatro repetições, sendo cada parcela composta por duas plantas, separadas por duas plantas de bordadura. Os tratamentos constaram de seis concentrações de extrato de alho, na forma de solução: 0,0; 1,0; 2,0; 3,0; 4,0 e 5,0%  aplicando cerca de 250 mL de solução por planta. As avaliações foram feitas aos 14, 21, 28, 35 e 42 dias após os tratamentos, em dois ramos escolhidos aleatoriamente no terço médio da planta, sendo avaliadas: a porcentagem de brotação, número total de brotos por ramo e comprimento dos brotos. Os melhores resultados foram obtidos em maiores concentrações de extrato de alho, promovendo antecipação e maior crescimento da parte aérea da amoreira-preta. Os resultados apontam a necessidade de mais estudos, os quais podem contribuir para o incremento da utilização do extrato de alho na quebra do repouso vegetativo.

Palavras-chave


Rubus spp., Tupy, desenvolvimento de gemas, brotação

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.0000/rtcab.v5i2.602

Direitos autorais 2011 Revista Trópica: Ciências Agrárias e Biológicas

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

R. Tróp.: Ci. agr. biol.

ISSN 1982-4831