ARTIGO: DESEMPENHO DE FORMULAÇÕES E DOSES DE GLYPHOSATE EM SOJA TRANSGÊNICA

Dirceu Agostinetto, Siumar Pedro Tironi, Leandro Galon, Taísa Dal Magro

Resumo


A soja é considerada a mais importante oleaginosa do mundo e no Brasil é a principal cultura em área e produção de grãos. Com o objetivo de fornecer subsídios para o manejo de plantas daninhas em soja transgênica, avaliaram-se a seletividade de formulações e doses de glyphosate na cultivar de soja BRS-244 RR e no controle das plantas daninhas Raphanus raphanistrum (nabo/nabiça) e Digitaria sp. (capim-colchão/milhã). O experimento foi conduzido a campo em delineamento experimental de blocos casualizados, com quatro repetições. Os tratamentos foram dispostos em esquema fatorial, comparando-se formulações (Roundup Ready® ou Transorb® - sais de isopropilamina ou, WG® - sal de amônio) e doses (720, 1080, 1440 g ha-1) do herbicida glyphosate e duas testemunhas
(capinada e infestada). As variáveis avaliadas foram fitotoxicidade à cultura, aos 7, 14 e 21 dias após a aplicação dos tratamentos (DAT), controle das plantas daninhas nabo e capim colchão, aos 14, 21 e 28 DAT e produtividade de grãos da cultura. Todas as formulações e doses de glyphosate apresentam seletividade a cultivar de soja, não modificam a produtividade de grãos e demonstram eficácia no controle das plantas daninhas nabo e capim colchão.
Palavras-chave: Controle químico; Manejo; Soja RR.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.0000/rtcab.v3i2.39

Direitos autorais 2010 Revista Trópica: Ciências Agrárias e Biológicas

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

R. Tróp.: Ci. agr. biol.

ISSN 1982-4831