Respostas fisiológicas e produtividade de feijoeiro cultivado em sistema silviagrícola com diferentes manejos de adubação

Gabriel Correa Souza, Leidivan Almeida Frazão, Rafael Ferreira Dias, Camila dos Santos Gonçalves Lucas, Clóvis Henrique Oliveira Rodrigues, Plínio Barbosa Camargo

Resumo


Os sistemas silviagrícolas são modelos de produção integrada compostos por espécies agrícolas e florestais, tornando-se importante a seleção de espécies agrícolas adaptadas às condições de sombreamento. Assim, este estudo avaliou as respostas fisiológicas e os componentes de produtividade de feijoeiro das cultivares Pérola e Dama coinoculadas com Rhizobium tropici e Azospirillum brasilense e cultivadas em sistema silviagrícola com diferentes manejos de adubação (uréia, molibdato de sódio, P natural e NPK) no Norte de Minas Gerais. Avaliaram-se: taxa de assimilação de CO2, concentração interna de CO2, massa seca da parte aérea, número total de nódulos nas raízes, teor de nitrogênio foliar, número de vagens por planta, de grãos por vagem e por planta, massa de cem grãos e produtividade. Os dados obtidos foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste Tukey (p < 0,05) com auxílio do software R. A coinoculação de feijoeiro com diferentes manejos de adubação não influencia a taxa de assimilação do CO2 das cultivares Pérola e Dama. A adubação de cobertura com molibdênio e nitrogênio não aumenta o número de nódulos nas raízes, porém potencializa a produtividade da cultura do feijoeiro no sistema integrado de produção. A cultivar Pérola apresenta maior produtividade em relação a cultivar Dama cultivada em sistema silviagrícola, sendo indicada para plantio em condições de sombreamento.


Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2019 Revista Trópica: Ciências Agrárias e Biológicas

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

R. Tróp.: Ci. agr. biol.

ISSN 1982-4831