BIOECOLOGIA DE Ucides cordatus LINNAEUS, 1763 (DECAPODA: BRACHYURA) NA COSTA DO ESTADO DO AMAPÁ

Marcus Emanuel Barroncas Fernandes, Muzenilha Lira Carvalho

Resumo


Aspectos da bioecologia do caranguejo-uçá (Ucides cordatus Linnaeus, 1763) foram investigados em duas localidades do Estado do Amapá. Na Ilha de Maracá dois bosques de mangue foram selecionados, sendo um dominado por Rhizophora mangle e outro por Avicennia germinans. Dois bosques mistos (A. germinans e R. mangle), onde há exploração do caranguejo-uçá, também foram estudados na Vila do Sucuriju. A análise da largura e comprimento da carapaça e peso demonstrou que existe diferença significativa entre as áreas de R. mangle e A. germinans, sendo os indivíduos da primeira área maiores e mais pesados. A densidade populacional do caranguejo-uçá na Ilha de Maracá não apresentou diferença significativa quando comparada àquela estimada para a Vila do Sucuriju. A biomassa dos dois bosques (R. mangle = 23,2 t.ha e A. germinans = 24,2 t.ha) não apresentou diferença significativa. O mesmo resultado foi obtido entre a Ilha de Maracá e a Vila do Sucuriju (30,2 e 22,3 t.ha, respectivamente). A captura controlada do caranguejo-uçá na Vila do Sucuriju foi de 20.333 indivíduos, correspondente ao esforço de 116 homem.dia e Captura por Unidade de Esforço (CPUE) de 175,28 caranguejos.homem.dia. A comparação entre os resultados obtidos na Ilha de Maracá, área sem pressão de pesca, e na Vila do Sucuriju, sugere que a pesca do caranguejo-uçá nesta última localidade não tem afetado os parâmetros bioecológicos desta espécie.

ABSTRACT Aspects of the bioecology of Ucides cordatus Linnaeus, 1763 were studied in two localities of the state of Amapá. Two mangrove stands were chosen on Maracá Island, one dominated by Rhizophora mangle and the other by Avicennia germinans. Another two mixed mangrove stands (A. germinans and R. mangle), where crabs are exploited, were also studied in the Sucuriju Village. The analysis of the carapace width and length and weight showed that there is a significant difference between the site dominated by R. mangle and A. germinans, being individuals from the former site bigger and heavier than the latter. The population density on Maracá Island did not presented significant difference when compared to the density estimates for the Sucuriju Village. Biomass of the two sites (R. mangle = 23.2 t.ha and A. germinans = 24.2 t.ha) did not show significant difference. The same result was presented between Maracá Island and Sucuriju Village (30.2 and 22.3 t.ha, respectively). The number of captured crabs at the Sucuriju Village reached around 20,333 individuals, which correspond to 116 man.day and Capture Per Unity of Effort (CPUE) of 175.28 crabs.man.day. The comparison between results obtained on Maracá Island and Sucuriju Village suggest that, at the latter locality, the fishing on Ucides cordatus has not affected the bioecological parameters of this species.

 

Key words: Ucides cordatus, biometry, productivity, mangrove, Amapá.



Palavras-chave


Ucides cordatus, biometria, produtividade, manguezal, Amapá

Texto completo:

PDF

Referências


ALCÂNTARA-FILHO, P. 1978. Contribuição ao conhecimento da biologia do caranguejo-uçá, Ucides cordatus (Linaeus, 1763) (Crustacea, Decapoda, Brachyura) no manguezal do Rio Ceará (Brasil). Arq. Ciên. Mar, 18(1/2):1-14.

ALMEIDA, L.F. & MELLO, C.F. 1966. Estudo preliminar da biologia e ecologia do caranguejo–uçá, Ucides cordatus (Crustacea, Decapoda, Brachyura), no município de Curuçá (PA) – uma contribuição ao manejo de recursos em áreas de manguezais. 3ª Reunião da SBPC, Ecossistema Costeiros: do conhecimento à gestão, Florianópolis-SC. 449p.

BARROS, A.C. 1976. Prospecção dos recursos pesqueiros das reentrâncias maranhenses. Brasília: Governo do Maranhão/Superintendência do Desenvolvimento da Pesca de São Luiz, 124p.

CASTELL, J.D., MASON, E.G. & COVEY, J.F. 1975. Cholesterol requirements of juvenile American lobster (Homarus americanus). Journ. Fish. Board, 32:1431-1435.

CASTRO, A.C.L. 1986. Aspectos bioecológicos do caranguejo-uçá Ucides cordatus (Linnaeus, 1763), no Estuário do Rio dos Cachorros e Estreito do Coqueiro, São Luiz, MA. Bol. Lab. Hidrob., 7:7-26.

COELHO, P.A. 1962. Crustáceo Decápodes de valor comercial no Estado de Pernambuco. Bol. Est. Pesca,2(3):17-18.

DIELE, K. 2000. Life history and population structure of the exploited mangrove crab Ucides cordatus (L) (Decapoda: Brachyura) in the Caeté estuary. North Brazil. ZMT. Contribution-9. 103p.

DIELE, K. & SIMITH, D. (2006) Salinity tolerance of northern Brazilian mangrove crab larvae, Ucides cordatus (Ocypodidae): Necessity for larval export? Estuarine Coastal Shelf Science 68: 600-608.

DIELE, K.; KOCH, V. & SAINT-PAUL, U. (2005) Population structure and catch composition of the exploited mangrove crab Ucides cordatus in the Caeté estuary, North Brazil: Indications of overfishing? Aquatic Living Resources 18(2): 169-178.

ELTRINGHAN, S.K. 1971. Life in mud and sand. New York: Crane Russak Co. 218p.

FAUSTO-FILHO, J. 1968. Crustáceo Decápodes de valor comercial ou utilizados como alimento no nordeste brasileiro. Bol. Soc. Cear. Agron. 9:23-27.

FERNANDES, M.E.B. 1997. The ecology and productivity of mangroves in the Amazon region, Brazil. Universidade de York, Inglaterra, Tese de doutorado. 214p.

GLASER, M. & DIELE, K. 2004. Asymmetric Outcomes: Assessing the biological economic and social sustainability of a mangrove crab fishery, Ucides cordatus (Ocypodidae), in North Brazil. Ecological Economics 49(3): 361-373.

IVO, C.T.C., DIAS, A.F. & MOTA, R.I. 1999. Estudo sobre a biologia do caranguejo-uçá, Ucides cordatus (Linnaeus, 1763), capturado na coleta do rio Parnaíba, Estado do Piauí. Bol. Tec. Cient. CEPENE, 7(1):53-84.

KANAZAWA, A. & KOSHIO, S. 1994. Lipid nutrition of the spiny lobster Panulirus japonicus (Decapoda, Palinuridae): a review. Crustaceana, 67(2):226-232.

McIVOR, C.C. & SMITH III, T.J. 1995. Differences in the crab fauna of mangrove areas at a Southwest Florida and aNortheast Australia location: implication for leaf litter processing. Estuaries, 18(4):591-597.

MELO, G.A.S. 1996. Manual de Identificação dos Brachyura (Caranguejos e Siris) do Litoral Brasileiro. São Paulo: Editora Plêiade/FAPESP. 604p.

NASCIMENTO, S.A., SANTOS E.R., BONFIN, L. & COSTA R.S. 1982. Estudo bio-ecológico do caranguejo-uçá (Ucides cordatus) e do manguezal do Estado de Sergipe - nordeste do Brasil. Relatório Técnico não publicado. ADEMA, Aracajú-SE. 12p.

NORDHAUS, I., WOLFF, M. & DIELE, K. (2006) Litter processing and population food intake of the mangrove crab Ucides cordatus in a high intertidal forest in northern Brazil. Estuarine, Coastal and Shelf Science 67: 239-250.

PAIVA, M.P. 1997. Recursos pesqueiros estuarinos e marinhos do Brasil. Fortaleza: EUFC. 278p.

PAIVA, M.P., BEZERRA, R.C.F. & FONTELES-FILHO, A.A. 1971. Tentativa de avaliação dos recursos pesqueiros do nordeste brasileiro. Arq. Ciên. Mar, 11(1)1-43.

ROBERTSON, A.I. & DANIEL, P.A. 1989. The influence of crabs on litter processing in high intertidal mangrove forests in tropical Australia. Oecologia, 78(2):191-198.

SCHAEFFER-NOVELLI, Y. 1983. Os manguezais do golfão maranhense. Relatório técnico apresentado ao Laboratório de Hidrobiologia- UFMA.

SCHAEFFER-NOVELLI, Y. 1989. Perfil dos ecossistemas litorâneos com especial ênfase sobre o ecossistema manguezal. Publicação especial Inst. Oceanografia. São Paulo, 7:1-16.

SCHAEFFER-NOVELLI, Y. & CINTRÓN, G.M. 1988. Expedição nacional aos manguezais do Amapá, Ilha de Maracá. Relatório apresentado ao Instituto Oceanográfico, São Paulo. 106p.

SCHAEFFER-NOVELLI, Y., CINTRÓN, G.M., ADAIME, R.R. & CAMARGO, T.M. 1990. Variability of mangrove ecosystem along the Brazilian coast. Estuaries, 13(2):204-213.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2014 Boletim do Laboratório de Hidrobiologia

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

B. Lab. Hidro.

E-mail: boletimlabohidro@ufma.br

ISSN 1982-6421 (Online)