PRODUÇÃO PRIMÁRIA MÉDIA DA COSTA LESTE AUSTRALIANA NO PERÍODO DE JANEIRO DE 2011 A JANEIRO DE 2012 POR IMAGENS DO SENSOR MODIS

Thuareag Monteiro Trindade Santos, Fabio salimos

Resumo


Este trabalho teve como principal objetivo avaliar a produção primária média anual da costa leste Australiana (164°17’31,2” L e 11°2’31,2” S: 142°27’28,8” L e 47°37’30” S) no período compreendido de janeiro de 2011 a janeiro de 2012, região na qual está inserida a Grande Barreira de Recifes de Corais. Os parâmetros analisados para estimar a produtividade primária da região foram: a média anual do carbono inorgânico dissolvido (CID), temperatura da superfície do mar (TSM) e clorofila. Os dados foram obtidos através do endereço eletrônico da agência espacial norte-americana (NASA) (http://modis.gsfc.nasa.gov/) e tratados utilizando o programa *ArcGIS versão 10.1. Como um ambiente de alta produtividade, as concentrações de clorofila nos recifes apresentaram altos valores, assim como os níveis de CID, pois através deste componente se constrói as estruturas recifais, além de valores pré-estabelecidos de TSM, um dos mais importantes parâmetros no desenvolvimento do ecossistema.


Palavras-chave


Sensoriamento Remoto, Recifes de coral, Grande Barreira de Recifes

Texto completo:

PDF

Referências


Barrón, C.; Tmarba, N.; Duarte, C.M.; Pedersen, M.F.; Lindblad, C.; Kersting, K.; Moy, F.; Bokn, T. 2003. High Organic Carbon Export Precludes Eutrophication Responses in Experimental Rocky Shore Communities. Ecosystems, v. 6, p. 144–153.

Connell, J.H. 1978. Diversity in tropical rain forest and coral reef. Science 199(4335):1302-1310.

Gattuso, J.-P.; Allemand, D.; Frankignoule, M. 1999. Photosynthesis and calcification at cellular, organismal and community levels in coral: a review on interactions and control by carbonate chemistry. American Zoologic. Vol. 39, p. 160-183.

Glynn, P.W. 1993. Coral reef bleaching: ecological perspective. Coral Reefs 129(1):1-17.

Goreau,T. F.; Goreau, N. I.; Goreau, T. J. 1979. Corals and Coral Reefs. Reimpressopela Scientific American.

Kaplan, E. H. 1982. Field guide to coral reef of the Caribbean and Florida, Boston. HoughtonMifflin Company, 289p.

Leclercq, N.; Gattuso, J-P.;Jaubert, J. 2000. CO2 partial pressure controls de calcification rate of a coral community. Global Change Biology. Vol. 6, p. 329-334.

Mayal, E. M.; Feitosa, F. A. N.; Fernandes, M.B.; Neumann-Leitao, S.; Ramos, B. P. R.; Lima, E.;Almeida, A. F. 2001. Coral from the table type of Maracajau-RN-Brazil. Resumenes: IX Congreso Latinoamericano sobre Ciencias Del Mar, San Andres Isla, p. 16-20, sept.

Moberg, F. & Folke, C. 1999. Ecological goods and services of coral reef ecosystems. Ecol. Econ. 29(2):215-233.

Muscatine, L. 1990. The role of symbiotic algae in carbon and energy flux in reef corals. In Ecosystems of the world 25: Coral Reefs (Z. Dubinsky, ed.). Elsevier, New York, p.75-84.

Rivera, G.L. 1994. Effects of water movement and sedimentation on the community structure of scleractinian corals. St. John, Virgin Islands (United States). Neritica. Vol. 8 (1-2), p. 7 – 19

Stanley JR., G.D. 2006. Photosymbiosis and the evolution of modern coral reefs. Science 312(5775):857-858.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Boletim do Laboratório de Hidrobiologia

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

B. Lab. Hidro.

E-mail: boletimlabohidro@ufma.br

ISSN 1982-6421 (Online)