CAPTURA DE REPRODUTORES DE PEIXE-PEDRA Genyatremus luteus (BLOCK, 1797) (PISCES: HAEMULIDAE) E MANUTENÇÃO EM SISTEMA FECHADO

Eurico Mesquita Noleto-Filho, Walter Luis Muedas Yauri, Ricardo Luvizotto-Santos

Resumo


Foi avaliado o processo de captura e aclimatação de reprodutores de Genyatremus luteus em sistema de recirculação. Animais adultos foram pescados com auxílio de linha de pesca e “rabadela” (espinhel de pequenas proporções) no município de São José de Ribamar, MA. Após a captura os peixes foram acondicionados em tanques de PVC contendo água do local da pesca com aeração e transportados para o Laboratório de Maricultura (DEOLI-UFMA), onde foram mantidos em quarentena e aclimatados em tanque de PVC 5 m3 acoplado a um sistema de filtragem. Dos 30 exemplares capturados, somente os que foram coletados em local raso (3 m de profundidade) sobreviveram ao processo de captura, transporte, quarentena e aclimatação. O fator de condição dos indivíduos antes da aclimatação foi de 0,10 ± 0,02 e após foi de 0,17 ± 0,01. A canulação mostrou ovócitos em diferentes estágios de desenvolvimento gonadal, inclusive no estágio maduro. Foi possível obter adultos saudáveis de Genyatremus luteus e mantê-los em sistema de recirculação, indicando a possibilidade de manutenção de um plantel de reprodutores para futuros trabalhos de maricultura.

Palavras-chave: cultivo, maricultura, recirculação.

ABSTRACT

Broodstocks catch and acclimation to close system of “peixe-pedra” Genyatremus luteus (BLOCK, 1797) (PISCES: HAEMULIDAE).

It was evaluated the capture and acclimation of Genyatremus luteus to a recirculating system. Adults were caught with line and “rabadela” (small longline) in São José de Ribamar, MA, Brazil. After capture, fish were placed in PVC tanks with aeration containing water from fishing site, and transported to the Laboratory of Mariculture (DEOLI-UFMA) where they were kept in quarantine and after acclimated to 5 m3 PVC tank with a filter system. Considering the 30 caught fishes, only those that have been collected in shallow water (3 m deep) survived the processes of capture, transport, quarantine and acclimation. The condition factor of fishes before acclimatization was 0.10 ± 0.02 and after acclimation was 0.17 ± 0.01. Cannulation showed oocytes in different stages of gonadal development, including mature. It was possible to obtain healthy adults of G. luteus and keep them in recirculation system for long periods, indicating the possibility of maintaining a broodstock to mariculture.

Keywords: fish-farming, mariculture, recirculation.


Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, Z.S. (2008) Os recursos pesqueiros marinhos e estuarinos do Maranhão: biologia, tecnologia socioeconomia, estado de arte e manejo. 286 p. Tese de Doutorado. Universidade Federal do Pará/ Museu Paraense Emílio Goeldi. 286p.

Aminot, A. Chaussepied, M. 1983. Manuel des analyses chimiques en milieu marin. Brest. CNEXO. 379p.

Baldisserotto, B. (2002). Fisiologia de peixes aplicada à piscicultura. 2º edição. Universidade Federal de Santa Maria. 212 p.

Blaylock, R. B. et al., (2005) Culture of Spotted, Seatrout (Cynoscion nebulosus) in a Closed, Recirculating System. In: Stickney, R., R. Iwamoto, and M. Rust (Ed.). Aquaculture and Stock Enhancement of Finfish: Proceedings of the Thirty-fourth U.S.-Japan Aquaculture Panel Symposium, San Diego, California, U.S. Dept. Commerce, NOAA Tech. Memo. NMFS-F/SPO-85, 76 p.

Cervigón, F. (1966). Los peces marinos de Venezuela. Estacion de Investigaciones Marinas de Margarita - Fundacion La Salle de Ciências Naturales.

Delbon, M. C. (1996). Ação da Benzocaína e do Óleo de Cravo sobre parâmetros fisiológicos de tilápia, Oreochromis niloticus. Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual Paulista. 90 p.

Food and agriculture organization of the united nations - FAO., 2010. The state of world fisheries and aquaculture. Fisheries and Aquaculture Department. Roma, Itália, 197 p. Disponível em .

Freire & Silva (2008). Aspectos sócio-ambientais das pescarias de camarões dulcíolas (Macrobrachium amazonicum HELLER, 1862 E Macrobrachium rosenbergii DE MAN, 1879) (Decapoda, Palaemonidae) na região bragantina - Pará – Brasil. Boletim do laboratório de hidrobiologia, São luís, 21(1):51-62.

Gomez, G.;Guzman, R. & Chacon, R. (2002). Algunos aspectos de La biologia reproductiva y poblacional del torroto, Genyatremus luteus, (Block, 1797) (Pisces: Haemulidae) em el golfo de Parla, Venezuela. Zootecnia Tropical, Maracay. 20(2):223-234.

Hoff, F.H. (1996). Conditioning, Spawning and Rearing of Fish with Emphasis on Marine Clownfish. Aquaculture Consultants. 212 p.

IBAMA (2009). Autorizações e Licenças para Fins Científicos e Didáticos – SISBIO. Disponível em .

Lima-junior, S.E.; Cardone, I.B.; Goitein, R. (2002). Determination of a method for calculation of Allometric Condition Factor of fish. Acta Scientiarum, Maringá, v. 24(1): 397-400.

Malone, R. F. and A. A. de los Reyes, Jr. (1997). Categories of Recirculating Aquaculture Systems. In: M. B. Timmons and T. Losordo (Eds). Advances in Aquacultural Engineering: Aquacultural Engineering Society (AES) Proceedings III, ed. Orlando: ISTA IV, p. 197-208.

Murphy, M. D.; Silva, J.A.. 2001 A summary of the status of white grunt Haemulon plumieri from the east coast of Florida. Florida Mar. Res. Inst.18 p.

Ohs, L. C. et al. (2011). Species profile: Pigfish, Ortopristhis chrysoptera. Southern region aquaculture No. 7209.

Pajuelo, J. G; Lorenzo, J.M; Gregoire, M & Domínguez-Soane, R. (2003). Life history of Podadasys incisus (Osteichthyes: Haemulidae) in the Canarian Arquipelago, Scientia Marina, 67 (2): 241-248.

Silva, E. C. & Barros (2011). F. Macrofauna bentônica introduzida no Brasil: lista de espécies marinhas e dulcícolas e distribuição atual. Oecologia Australis. 15(2): 326-344

Vazzoler, A. E. A. M. (1996). Biologia de peixes teleósteos: teoria e prática. EDUEM, São Paulo. 169p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2014 Boletim do Laboratório de Hidrobiologia

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

B. Lab. Hidro.

E-mail: boletimlabohidro@ufma.br

ISSN 1982-6421 (Online)