EFEITOS DA URBANIZAÇÃO NA ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DO ITAPIRACÓ, SÃO LUÍS, MA

Naylanda France Abreu da Costa, Antonio Carlos Leal de Castro, Nytia Nanda Silva Costa

Resumo


O objetivo deste trabalho foi efetuar um diagnóstico da situação atual da Área de Proteção Ambiental de Itapiracó buscando fornecer uma base ecológica para sua proteção e planejamento do uso sustentável de seus recursos naturais. As informações foram coletadas através de visitas de campo realizadas mensalmente entre Maio/2006 a Agosto/2006. As unidades de paisagem foram definidas por meio de interpretação visual de imagem CIBER, mostrando: mata galeria, área urbana com alta densidade, solo exposto, área urbana de média densidade, capoeira rala, capoeira densa e área urbana com baixa densidade. Os principais impactos observados foram: deposição de resíduos sólidos, poluição das nascentes do rio Itapiracó, assoreamento dos corpos d’água e retirada da mata ciliar.

Palavras-chave: área de proteção ambiental, urbanização, impactos, paisagem.

Abstract

Urbanization impacts on the Environmental Protection Area of Itapiraco, Sao Luis, Maranhao State

The aim of this paper was to carry out a diagnosis of the current situation of the Itapiraco Environmental Protection Área searching to provinding na ecological basis for its protection and planning of tha sustainable use of its natural resources. The information were collected from visits the field performed monthly between May and August of 2006. The units of landscap had been definied trough viewable interpretation of imagery CIBER showing: rippariah forest, urban area high density, bare grond, urban area median density, secondary vegetation dominate by shrub and urban area solid residues, pollution on headwaters, sediment filling of waterbodies and clearing of riverine vegetation which colonize the borders of waterbodies.

Key words: environmental protection area, urbanization, impacts, landscape.

Referências


CONAMA 2006. Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução nº 001 de 23 de janeiro de 1986. Estabelece as definições, responsabilidades, os critérios básicos e as diretrizes gerais para uso e implementação da Avaliação de Impacto Ambiental como um dos instrumentos da Política Nacional do Meio Ambiente. Disponível em: http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res88/res0186.html. Acesso em: 23 jan.

FELICIANO, A. L. P. 1999. Caracterização ambiental, florística e fitossociológica de uma Unidade de Conservação. Caso de estudo: Estação Ecológica de São Carlos, Brotas, SP. 160p. (Tese de Doutorado. Universidade Federal de São Carlos).

FORMAN, R. T. T.; GODRON, M. 1986. Landscape Ecology. [S.l]:John Weley & Sons. p. 619.. Secretaria de Estado.

FREITAS, H. C. 2003. Estudo Sobre a Sustentabilidade Econômica das Unidades de Conservação do IEF- MG. Relatório técnico não publicado. Belo Horizonte - MG.. 103p.

FREITAS, M. I. C.; DE LOMBARDO, M. A. 2000. Universidade e comunidade na gestão do meio ambiente. Rio Claro, SP: Ageteo-UNESP. Rio Claro/ Universidade de AUBURN (EUA).

HOROWITZ, C. 2001. Trilha da Capivara: Parque Nacional de Brasília. IBAMA.

IBAMA. 1992. Roteiro Técnico para Elaboração de Planos de Manejo em Áreas Protegidas de Uso Indireto. Brasília-DF. Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis-IBAMA. Secretaria de Meio Ambiente da Presidência da República, 47p.

IBAMA. 1996. Roteiro metodológico para planejamento de Unidades de conservação de Uso Indireto. Brasília: MMA/ IBAMA. 110p.

JARDIM, N.S. 1995. Lixo municipal: manual de gerenciamento integrado. São Paulo: Instituto de Pesquisas Tecnológicas - IPT/CEMPRE.

MARANHÃO. 1993. Secretaria de Estado do meio Ambiente e Recursos Hídricos (DPCA). Decreto 13.150 de 09 de julho de 1993. Cria o Parque Ambiental do Itapiracó.

MARANHÃO. 1997. Secretaria de Estado do meio Ambiente e Recursos Hídricos (DPCA). Decreto 15.618 de 23 de junho de 1997. Cria a Área de Proteção Ambiental do Itapiracó e dá outras providencias.

PIRES, J. S. R. 1995. Análise Ambiental Voltada ao Planejamento e Gerenciamento do Ambiente Rural: análise metodológica aplicada ao município de Luís Antonio- SP. 202 p. (Tese de Doutorado. Universidade Federal de São Carlos, São Paulo).


Apontamentos



Direitos autorais 2014 Boletim do Laboratório de Hidrobiologia

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

B. Lab. Hidro.

E-mail: boletimlabohidro@ufma.br

ISSN 1982-6421 (Online)