EFEITO DE COAGULASE BACTERIANA SOBRE O PLASMA DE TARTARUGA DE ÁGUA DOCE Trachemys adiutrix Vanzolini, 1995 EM PRESENÇA DE Staphylococcus aureus

Rafael Tagori Martins

Resumo


A tartaruga da espécie Trachemys adiutrix, popularmente conhecida como capininga, tem sido estudada, devido sua endemicidade no estado do Maranhão, resistência em ambientes desérticos e, também, por estar apresentando anomalias congênitas com causas ainda indeterminadas. Neste estudo, nós investigamos a capacidade de seu plasma sofrer coagulação induzida pela coagulase da bactéria Staphylococcus aureus. Foram realizados testes em lâmina e em tubo para a presença da coagulase ligada e livre. Como controle positivo foi utilizado plasma de coelho. O sangue da tartaruga foi obtido através de incisão na veia jugular, com o uso de anticoagulantes para obtenção do plasma. O plasma, obtido com EDTA, não coagulou, como seria esperado nas condições recomendadas para o teste em tubo a 37ºC após quatro horas de incubação. Contudo, foi evidenciada coagulação após duas horas de incubação à temperatura ambiente de 27°C. Na amostra de plasma heparinizado não houve coagulação para todas as temperaturas utilizadas. No teste em lâmina este plasma também não sofreu coagulação. Em todas as condições utilizadas o plasma de coelho foi coagulado. Estes resultados sugerem diferenças nos mecanismos relacionados à coagulação em tartarugas quando comparados com o de outros animais.

Palavras-chave: tartaruga, Trachemys, coagulase, plasma, bactérias.

Abstract


Bacteria coagulase effect upon freshwater turtle (Trachemys adiutrix Vanzolini, 1995) serum on the presence of Staphylococcus aureus

Turtle of Trachemys adiutrix species, know as capininga, have been studied because of its endemicity in the state of Maranhão, its resistance to the desertical environment and also its congenital anomalies with unknown causes in its population. In this work, the capacity of its plasma to coagulate after being introduced to the Staphylococcus aureus bacteria was investigated. Some tests were carried out, using laboratory slides and tubes, checking for the presence of linked and free coagulase. The rabbit plasma was used as positive-control. The blood of the turtle was extracted via an incision over the jugular vein, and the plasma was obained by using anticoagulants. The plasma obtained with EDTA did not coagulate as it was expected under the recommended conditions for the lab tube test at a temperature of 37ºC, after four hours of incubation. However,the coagulation was evidenced after two hours of incubation at a temperature of 27°C. In the heparinized plasma sample there was no coagulation at either of the temperatures. In the lab slide test, the plasma did not undergo coagulation. Under all conditions, the rabbit plasma coagulated. These results suggest some differences in the mechanisms related to coagulation in turtles mechanisms when compared to the one in other animals.

Key words: Turtle, Trachemys, coagulase, plasma, bacteria.


Referências


AMABIS, J. M., MARTHO, G.R. 2004. Biologia dos Organismos. 2ª ed. Ed Moderna. São Paulo.

ADESYUN, A. A. & SHEHU, L. M. 1985. Detection of staphylocoagulase using plasmas from various animals. Veterinary Microbiology, Amsterdam, 10 (4): 387-392.

BARBOSA, S.G. 2003. Situação do extrativismo de duas espécies de tartaruga de água doce, Kinosternon scorpioides scorpioides e Trachemys adiutrix, em zona costeira do estado do Maranhão - Ilha de Curupu. Monografia de conclusão de curso. UFMA.

BLACK, J.2002. Microbiologia Fundamentos e Perspectivas. 4ª ed. Ed. Guanabara-Koogan.RJ.

BLAIR, J. E. 1939. The pathogenic staphylococci. Bacteriol. Rev. 3:97-146.

BLAIR, J. E. 1962. What is a Staphylococcus? Bacteriol. Rev. 26:375-381.

DUTHIE, E. S., & L. L. LORENZ. 1952. Staphylococcal coagulase: mode of action and antigenicity. J. Gen. Microbiol. 6: 95-107.

EVENSON, M. L., HINDS, M. W., BERNSTEIN, R. S. & BERDGOLL, M. S. 1988. Estimation of human dose of staphylococcal enterotoxin A from a large outbreak of staphylococcal food poisoning involving chocolate milk. International journal of Food Microbiology, Amsterdam, 7:311-316.

FRANCO, B. D. G. M & LANDGRAF, M. 1996. Microbiologia dos Alimentos. São Paulo: Atheneu.

FRANCO, B. D. G. M., LANDGRAF, M., DESTRO & M. T., GELLI, D. Foodborne diseases in Southern South América. In: MILIOTIS, M., BIER, J. 2003. (Ed.). International Handbook of Foodborne Pathogens. New York: Marcel Dekker,. p. 733-743.

GIL, J. I, DURÃO, J. C. 2000. Manual de inspeção sanitária de carnes. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 563 p.

HICKMAN Jr., C.P., ROBERTS, L. S. & LARSON, A. 2004. Princípios Integrados de Zoologia, 11ª ed. Ed. Guanabara-Koogan, RJ.

IBAMA. BRASIL. 1989. Ministério do Interior. Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. Projeto Quelônio da Amazônia 10 anos. Brasília, 119p.

KANTEK, C. E.1980. Elementos de patologia clínica veterinária. Curitiba: Reprocopy.

KONEMAM, E.W., ALLEN, S. D., JANDA, W.M., SCHRECKENBERGER, P. C. & WINN, W. C. JR. 2001. Diagnóstico Microbiológico. Texto e Atlas colorido. 5ª. Ed.

MALTA, T. S., NASCIMENTO & M. R. B. M. 2005. Estudo hematobioquímico na Podocnemis unifilis: perfil bioquímico sanguíneo. Horizonte científico, 2(5):1-13.

MARTINEZ, T.C.N, LABORDA, S.S, ANUNCIAÇÃO, A. V. M, ALMEIDA, M. G.A.A, ROCHA, C.C. M, PINHEIRO, D.P. M. & FIGUEIREDO, A. 2001. Caracterização de Staphylococcus sp isolados de processos infecciosos de caninos utilizando plasmas de diferentes espécies animais. Rev. Bras. Saúde Prod. An. 1(2): 48-53.

MARTINS, R.T. BARRETO, L. & PEREIRA-MARTINS, S.R. 2003. Observação de anomalias congênitas em tartarugas de água doce Trachemys adiutrix (Vanzolini, 1995) em ambiente natural. Bol.Lab.Hidrobiol, (16): 75-76 p 157-170.

MARTINS, R.T. MONTEIRO-NETO, V., BARRETO, L. & MOREIRA, I.V. 2005. Comportamento hemolítico de bactérias do gênero Streptococcus Rosenbach, 1884 em meio de cultura produzido com sangue de tartaruga de água doce Trachemys adiutrix (Vanzolini, 1995).Bol.Lab.Hidrobiol, (19).p 45-48.

MOLINA, F.B. 1996. Os quelônios e sua biologia: O tigre d’agua, Trachemys dorbigny. Chelonia (16): 2.

MOLINA, F.B. & GOMES, N. 1998. Breeding and nesting behaviour of dorbigny’s slider turtles.Int. Zoo. Yb36: 162-170.

MUNDIM, A. V., QUEIRÓZ, R. P., SANTOS, A. L. Q., BELETTI, M. E. & LUZ, V. L. F. 1999. Bioquímica sanguínea da tartaruga da Amazônia (Podocnemis expansa) em seu habitat natural. Bioscience Journal, 15(2): 35-43.

POUGH, F.H., HEISER, J.B & JANIS, C.M. A vida dos vertebrados. 4ª ed. Editora Atheneu, São Paulo, SP. 2003

POUGH, F.H., HEISER, J.B & McFARLAND, W.N. 2000. A vida dos vertebrados. 3ª ed. Editora Atheneu, São Paulo, SP.

QUINN, N. E. 1994. Clinical veterinary microbiology. London: Wolfe.

RIBEIRO F. M. & QUEIROZ R. P. 2002. Estudos hematobioquímicos na Trachemys scripta elegans (Schoepff, 1792) J. Herpetology, 38(2): 280-285.

RICKLEFS, R. 2003. A economia da natureza. 5ª ed. Ed. Guanabara Koogan, RJ.

SAVAGE, J.M. 1966. The origins and history of the Central American Herpetofauna. Copeia (4):719-766.

SEIDEL, M.E. 2000. Taxonomic Observations on Extant Species and Subspecies of Slider Turtles, Genus Trachemys. J. Herpetology, 36(2): 292-295.

SHULZ, W. Infecções por estafilococos. In: BEER, J. Doenças infecciosas dos animais domésticos. São Paulo: Roca. p.1-9.1988

TAYLOR, J. I., & A. McDIAMID. 1948. The use of plasma, incorporated in solid medium for the detection of coagulase positive staphylococci of bovine origin. J. Comp. Pathol. (58): 134-137.

TRABULSI, L.R. 2004. Bactérias de Interesse Médico In: Microbiologia 3ª edição. Trabulsi, L.R., Ed. Atheneu, Sp. p 119-121.

U.S. FOOD & DRUG ADMINISTARTION (FDA). 1969. Division of Microbiology. Bacteriological analytical manual, 2nd ed. Washington, D.C.

VANZOLINI, P.E. 1995. A new species of turtle, genus Trachemys, from the state of Maranhão, Brazil (Testudines, Emydidae). Revista Brasileira de Biologia, 55(1): 111-125.

YRIOS, J. W. 1977. Comparison of Rabbit and Pig Plasma in the Tube Coagulase Test.J.Clin. Microbiology.05, N.2 : 221-224.

ZECCONI, A. & HAHN, G. 2001. Staphylococcus aureus in raw milk and human health risk. Bulletin of IDF, Brussels, v.345,p.15-18.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2014 Boletim do Laboratório de Hidrobiologia

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

B. Lab. Hidro.

E-mail: boletimlabohidro@ufma.br

ISSN 1982-6421 (Online)