CARACTERIZAÇÃO DA POPULAÇÃO RIBEIRINHA DO ESTUÁRIO DO RIO ANIL (SÃO LUÍS - MA), COM BASE EM ASPECTOS SOCIAIS, ECONÔMICOS E AMBIENTAIS

Ana Luiza Privado Martins, Maria José Saraiva Lopes

Resumo


A bacia do rio Anil destaca-se como a bacia com maior ocupação humana da cidade de São Luís, sendo suas margens caracterizadas pela grande quantidade de palafitas, principalmente em sua região estuarina. Dessa forma, este estudo apresenta características da população moradora das margens do estuário do rio Anil, baseando-se em aspectos sociais, econômicos e ambientais. As informações foram obtidas através da aplicação de questionários e conversas informais com a população ribeirinha em quatro pontos ao longo do estuário, sendo para cada local, aplicados 25 questionários. Com relação à caracterização sócio-econômica, destacou-se uma baixa escolaridade e uma reduzida renda familiar mensal. Em se tratando da caracterização ambiental, nota-se uma grande interferência da população sobre o rio, visto que os esgotos domésticos provenientes da mesma convergem para esse local, além de grande parte do lixo domiciliar produzido. Apesar disso, o rio ainda é utilizado como fonte de suprimento alimentar, além de área de lazer, sendo que algumas pessoas tomam banho no local. Doenças, como infecção intestinal e dermatites, são constantes em indivíduos que entram em contato direto com a água contaminada do local. Quanto à percepção ambiental, a maior parte dos entrevistados demonstrou ser consciente de que existem problemas ambientais envolvendo o rio, sendo a grande quantidade de lixo e de esgoto os mais citados.

Palavras-chave: Estuário do rio Anil, população ribeirinha, perfil sócio-econômico-ambiental.

Abstract

Marginal population’s characterization of the Anil river estuary (São Luís - MA), based in social, economic and environmental aspects

Anil River basin is distinguished as one of the biggest human occupation of the São Luís city, being its margin characterized for the great amount of blockhouses, mainly in estuary region. In such case, this study living population characteristics of the Anil river estuary margin, being based on social, economic and environmental aspects. Informations were gotten through the application of questionnaires and informal conversations with the marginal population in four points throughout the river, being applied 25 questionnaires for each place. With regard to the social and economic characterization, it was distinguished a low access to the studies and a reduced monthly familiar income. With regard to the environmental characterization, a big interference of the population is observed on the river, since the domestic sewers converge to this place, beyond great part of the domiciliary garbage. Although this, the river still is used as alimentary supply source, beyond leisure place, being that some people take bath in the place. Disease, as intestinal infections and dermatitis are constant in individuals that enter in direct contact with the contaminated water. With regard to the ambient perception, the most of the interviewed demonstrated know that there are environmental problems involving the river, being the great amount of garbage and sewer the most cited. Tropical Water.

Key words: Anil river estuary, environmental profile, marginal population and social economic.


Referências


ALCÂNTARA, E. H. 2004. Mudanças climáticas, incertezas hidrológicas e vazão fluvial: o caso do estuário do rio Anil. Caminhos de Geografia, 8 (12): 158-173.

ANA - AGÊNCIA NACIONAL DAS ÁGUAS. 2002. A evolução da gestão dos recursos hídricos no Brasil. (Edição comemorativa do dia mundial das águas). [S.l.: s.n.]. 64p.

AZEVEDO, J. & NEVES, V. 1997. A situação dos serviços de saneamento básico no município de Teresópolis-RJ. Rio de Janeiro. Disponível em: . Acesso em: 2 fev. 2005.

BRASIL. 2002. Agência Nacional de Águas. A evolução da gestão dos recursos hídricos no Brasil. (Edição Comemorativa do Dia Mundial das Águas). Brasília, DF: [s.n]. 64 p.

CETESB. 2005. São Paulo. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2005.

D’AGUILA, P. S, ROQUE, O. C. C., MIRANDA, C. A. S. & FERREIRA, A. P. 2000. Avaliação da qualidade de água para abastecimento público do município de Nova Iguaçu. Cad. de Saúde Pública, Rio de Janeiro, 16 (3): 791-798.

FREIRE, J. R. 1990. Áreas de riscos de erosão na bacia do rio Anil, São Luís- MA. Monografia (Curso de Geografia) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís.

GERCO. 1998. Programa Estadual de Gerenciamento Costeiro-Hidrologia. Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Coordenadoria de Programas Especiais. Governo do Estado do Maranhão. São Luís.

GOMES, C. M. T. 2001. Degradação ambiental urbana e qualidade de vida nas áreas de manguezais ocupadas por palafitas em São Luís-MA. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 69 f.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. 2001. Diretoria de Pesquisas. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD).

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. 2005. Relatório Técnico. Perfil da população brasileira.

JMP. 1999. Programa Estatístico. Versão 3.0. [S.l]. CD-ROM.

LIAO, P. D. L, BEZERRA, J. M.,GARROS, M. C. M & BASTOS, O. C. 1985. Estado de poluição bacteriológica dos principais rios da ilha de São Luís - Estado do Maranhão - Brasil: Anil, Bacanga e Paciência. Cadernos de Pesquisa, São Luís, 1 (1): 04-23.

LIMA, F. J. C. 2003. Levantamento dos principais focos de impactos ambientais na bacia do Rio Anil, São Luís-MA. Monografia (Curso de Especialização em Gestão de Recursos Hídricos e Meio Ambiente) - Universidade Federal do Maranhão, São Luís. 47 f.

MARANHÃO. 1998. Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Diagnóstico Ambiental da Microrregião da Aglomeração Urbana de São Luís e dos municípios de Alcântara, Bacabeira e Rosário. Estudo de Hidrologia. São Luís. 43p.

MONTEIRO, C. A., CHIEFFI, P. P., BENICIO, M. H. A., DIAS, R. M. S., TORRES, D. M. A. G. V. & MANGINI, A. C. S. 1988. Estudo das condições de saúde das crianças do município de São Paulo (Brasil), 1984/ 1985. VII-Parasitoses intestinais. Revista de Saúde Pública, 22:8-15.

NETTO, J. M. A. 1988. Novos conceitos sobre a eutrofização. DAE, 48 (151), 21-39.

RODGHER, S., SPÍNDOLA, E. L. G. & FRACÁCIO, R. et al. 2002. Recursos hidroenergéticos: Usos, Impactos e Planejamento Integrado. São Carlos: Escola de Engenharia de São Carlos. 1 v.

SYDOW, E. 2001. Rede social de justiça e direitos humanos. [S.l.: s.n].

TUNDISI, J. G. 2003. Água no século XXI: enfrentando a escassez. São Carlos: RiMA.

ZUQUIM, F. & DE BENEDICTS, G. 2005. Geografia: Fascículo 05. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2014 Boletim do Laboratório de Hidrobiologia

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

B. Lab. Hidro.

E-mail: boletimlabohidro@ufma.br

ISSN 1982-6421 (Online)