A EXPERIÊNCIA COMUNITÁRIA NA ANTIGA SANTA TERESA DO PARUÁ: ALGUMAS REFLEXÕES SOBRE O COMUNITARISMO E O MODELO DEDESENVOLVIMENTO COMUNI

Andrea Fernandes de Sousa

Resumo


Este artigo busca refletir sobre o processo que culminou no modelo de desenvolvimento comunitário adotado pelos moradores da antiga Santa Teresa do Paruá, atualmente, Presidente Médici/MA. O tema se baseia na pesquisa que desenvolvi na minha dissertação de mestrado a qual se propôs reconstruir a história do Colégio Santa Teresa – um espaço de educação comunitária, que ficou conhecido por oferecer dentre outros benefícios, um ensino de qualidade, se destacando pelos métodos de ensino, baseados na autonomia dos sujeitos e no pensamento reflexivo. O estudo revelou que, a comunidade, estimulada pela percepção progressista do Pe. comboniano português, Armindo Dinis, encontrou no trabalho comunitário, a oportunidade de sua transformação social. E foi com vistas a ele, que se desenrolou por volta das décadas de 1970 e 1980, o conjunto de ações responsáveis pela construção de várias e importantes obras comunitárias, dentre elas, o Colégio Santa Teresa. Por outro lado, demonstrou que os ideais comunitários se encontram atualmente enfraquecidos. Desse modo, há também o interesse em analisar e discutir sobre os desafios e dilemas que essa experiência representou para a referida comunidade ao longo dos tempos. Para desenvolver este estudo, fez-se uso da revisão bibliográfica e da metodologia de História Oral (com o uso de entrevistas, ouvindo e analisando dados de pessoas que de alguma forma, vivenciaram sobre o tema desta pesquisa).

Palavras-chave


Comunidade. Desenvolvimento Comunitário. Transformação Social. Desafios e Dilemas.

Texto completo:

PDF

Referências


BAUMAN, Z. Comunidade: A busca por segurança no mundo atual. Rio de Janeiro: Ed. Jorge Zahar, 2003. BRANCALEONE, C. Comunidade, sociedade e sociabilidade: revisitando Ferdinand Tönnies. Revista de Ciências Sociais, v. 39, n. 2, 2008. Disponível em . Acesso em: 03 mar. 2016. FERNANDES, F. (Org.). Comunidade e Sociedade no Brasil. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1972. GADOTTI, M. Educação popular, educação social, educação comunitária: conceitos e práticas diversas, cimentadas por uma causa comum. In: Congresso Internacional de Pedagogia Social. São Paulo: Proceedings online... Associação Brasileira de Educadores Sociais, n. 4, v. 2, p. 1-36, jul. 2012. Disponível em: . Acesso em30 mar. 2016.

MANHÃES, L. C. S. Educação e lutas sociais na colonização dirigida do Alto Turi maranhense - 1962/1984. 1987. 319f. Dissertação de Mestrado da Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, RJ, 1987. Disponível em: . Acesso em 12 fev. 2016. QUEIROZ, M. I. P. O povoado de Santa Brígida. In: FERNANDES, F. (Org.). Comunidade e Sociedade no Brasil. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1972. ______. Variações sobre a técnica de gravador no registro da informação viva. São Paulo: T. A. Queiroz, série2, v. 7, 1991. (Biblioteca básica de ciências sociais). SENNET, R. Juntos – os rituais, os prazeres e a política da cooperação. Rio de Janeiro: Record, 2012. WAGLEY, C. O desenvolvimento comunitário como dilema nacional. In: FERNANDES, F. (Org.). Comunidade e Sociedade no Brasil. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1972.

WOLLMANN, W.; THIEL, R. 1983: Presidente Médici. In: HENGEMÜLLE, E. 25 anos de Presença Lassalista no Norte e Nordeste do Brasil. Canoas, RS:Gráfica e Editora La Salle, 2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista Bibliomar

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ISSN 2526-6160

 

 

INDEXADORES E BASES BIBLIOGRÁFICAS:


LATINDEX

Directory of Open Access Journals


logo_livre2.png

Resultado de imagem para redib

 BASE Logo

https://www.sumarios.org/sites/default/files/logo_0.png

Ver a imagem de origem

 VISITANTES MUNDIAIS DA REVISTA BIBLIOMAR: