O TAMBOR DE MINA COMO RESGATE DE INTEGRAÇÃO, SOCIALIZAÇÃO E INCLUSÃO SOCIAL NA COMUNIDADE QUILOMBOLA SÃO SEBASTIÃO DOS PRETOS EM BACABAL (MA)

Roseana Trindade Sá, Ana Lucia Cunha Paixão Gomes, Walmiria Costa Moraes

Resumo


Estudo sobre o Tambor de Mina na comunidade quilombola São Sebastião dos Pretos em Bacabal (MA), fazendo um resgate da cultura popular e a resistência da prática por parte das comunidades tradicionais. Classifica a pesquisa como bibliográfica e campo com abordagem qualitativa realizada por meio de entrevistas com líderes da comunidade. Aborda sobre cultura e suas ideologias e discorre sobre o Tambor de Mina no Maranhão na Comunidade quilombola São Sebastião dos Pretos. Conclui que a prática tradicional do Tambor de Mina em São Sebastião dos Pretos enaltece a identidade negra, sendo marco de resistência e afirmação étnicoracial. 

Palavras-chave: Tambor de Mina. Cultura maranhense. Comunidade quilombola. São Sebastião dos Pretos. Bacabal (MA).  

THE TAMBOR DE MINA AS A RESCUE OF INTEGRATION, SOCIALIZATION AND SOCIAL INCLUSION IN THE QUILOMBOLA COMMUNITY SÃO SEBASTIÃO DO PRETOS IN BACABAL (MA) 

Abstract

Study of the Tambor de Mina in the quilombola community São Sebastião dos Pretos in Bacabal (MA), making a rescue of popular culture and the resistance of the practice on the part of traditional communities. It classifies the research as bibliographic and field research with a qualitative approach emphasized by conducting interviews with community leaders. It discusses culture and its ideologies and discusses the Tambor de Mina in Maranhão in the São Sebastião dos Pretos quilombola community. It concludes that the traditional practice of the Tambor de Mina in São Sebastião dos Pretos enhances the black identity, being a landmark of resistance and ethnic-racial affirmation.

Keywords: Tambor de Mina. Maranhão culture. Quilombola community. São Sebastião dos Pretos. Bacabal (MA).


Palavras-chave


Tambor de Mina; Cultura maranhense; Comunidade quilombola; São Sebastião dos Pretos; Bacabal (MA)

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRÉ, Marli. A abordagem qualitativa de pesquisa. In: ANDRÉ, Marli. Etnografia da prática escolar. Campinas: Papirus, 1995. cap. 1, p. 13-22. Disponível em: http://lab.cua.ufmt.br/lepega/file/2018/03/etnografia.pdf. Acesso em: 16 jun. 2020.

ANDRÉ, Marli. Diferentes tipos de pesquisa qualitativa. In: ANDRÉ, Marli. Etnografia da prática escolar. Campinas: Papirus, 1995. cap. 2, p. 23-28. Disponível em: lab.cua.ufmt.br/lepega/file/2018/03/etnografia.pdf. Acesso em: 16 jun. 2020.

ASSUNÇÃO, Mathias Rohrig. Cultura popular e sociedade regional no Maranhão do século XIX. Revista de Políticas Públicas, São Luís, v. 3, n. 1, p. 29-66, 2015. Disponível em: https://scholar.google.com.br/scholar?um=1&ie=UTF-8&lr&cites=240575727954952111. Acesso em: 10 dez. 2017.

BOTELHO, Joan. Tambor de mina: a tradição negra na Casa das Minas. In: BOTELHO, Joan. Conhecendo e debatendo a história do Maranhão. São Luís: Fort Gráfica, 2012.

BOTELHO, Joan. A cultura maranhense no Império: das manifestações populares ao mito da Atenas Brasileira. In: BOTELHO, Joan. Conhecendo e debatendo a história do Maranhão. São Luís: Fort Gráfica, 2012.

CHAUÍ, Marilena. O mundo da prática. A vida política. In: CHAUÍ, Marilena. Convite à Filosofia. São Paulo: Editora Ática, 2000. unidade 8, cap. 1, p. 366-378. E-book. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/533894/mod_resource/content/1/ENP_155/Referencias/Convitea-Filosofia.pdf. Acesso em: 10 dez. 2017.

FERRETTI, Mundicarmo. Pureza nagô e nações africanas no Tambor de Mina do Maranhão. Ciências Sociais e Religião, Porto Alegre, ano 3, n. 3, p. 75-94, 2001. Disponível em: http://www.gpmina.ufma.br/pastas/doc/As%20nacoes%20da%20mina.pdf. Acesso em: 15 dez. 2017.

FERRETTI, Mundicarmo. Tambor de Mina e Umbanda: o culto aos caboclos. CEUCAB-RS: O Triangulo Sagrado, Porto Alegre, ano 3, n. 39, 1996. Disponível em: https://repositorio.ufma.br/jspui/bitstream/1/205/1/Mina%20e%20Umbanda.pdf. Acesso em: 15 dez. 2017.

FERRETTI, Sergio. Contribuição cultural do negro na sociedade maranhense. São Luís: UFMA, 2008. Trabalho apresentado em Mesa Redonda no Curso de Letras da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Bacabal, Maranhão, Brasil. [S. l.: s. n.], 2017. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ma/bacabal/panorama. Acesso em: 15 dez. 2017.

ROCHA, Fabiano e Silva. História econômica brasileira: atividades econômicas e a exploração da força de trabalho agrícola. In: ROCHA, Fabiano e Silva. Trabalho e economia familiar agrícola: considerações sobre o processo de reconfiguração dos comportamentos econômicos dos moradores da Vila Cariongo em Santa Rita - MA. 2016. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) – Centro de Ciências Humanas, São Luís, 2016. cap. 1.

RUDIO, Franz Victor. Introdução ao projeto de pesquisa científica. 11. ed. Petrópolis: Vozes, 1986.

SANTOS, Geysa; REIS, Milena; OOSTERBEEK, Luiz. Quilombos e globalização: um estudo arqueológico sobre identidades e mecanismos de adaptação. [S. l.: s. n.], 2010. Disponível em: http://projetoportoseguro-maranhao.blogspot.com/2010/02/quilombos-e-globalizacao-um-estudo_28.html. Acesso em: 10 dez. 2017.

SANTOS, José Luís dos. O que é cultura. São Paulo: Brasiliense, 2006.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

SOUSA, Li-Chang Shuen Cristina Silva. Cultura global e identidades locais: conflitos culturais na interface da globalização. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOCIOLOGIA,15., 2011, Curitiba. Anais eletrônicos [...]. Curitiba: UFPR, 2011. Disponível em: https://pt.scribd.com/document/71233940/Cultura-Global-e-Identidades-Locais. Acesso em: 10 dez. 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Bibliomar

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

ISSN 2526-6160

 

 

INDEXADORES E BASES BIBLIOGRÁFICAS:


LATINDEX

Directory of Open Access Journals

 

logo_livre2.png

Resultado de imagem para redib

 

 BASE Logo

https://sumarios.org/search/node/revista%20bibliomar

 

Ver a imagem de origem

 VISITANTES MUNDIAIS DA REVISTA BIBLIOMAR: