EMPRESAS E A INTERFACE DA TRANSPARÊNCIA NO ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO: reflexões, conceitos e tendências

Marcelo Calderari Miguel, Antonio Luiz Mattos de Souza Cardoso, Vitorino Fontenele Freire

Resumo


As características do fenômeno conhecido como transparência e como ela se coloca como valor para as empresas no estado democrático de direito. O método de análise compreende uma revisão de literatura sobre o fenômeno da transparência e, no estado da arte de discussões, se averiguam as alterações operadas no modo de se distribuir a transparência na esfera organizacional, situando assim suas correlações e consequências e apelos na ética empresarial. O resultado evidencia que o fenômeno transparência situa consideráveis alterações no sentido de se tornar um “valor econômico”; e nesse cenário, os procedimentos contábeis avançam ao fazer uma interface diretiva ativa das mudanças advindas com as históricas eras das revoluções. Destaca que a transparência cria um processo construtivo para as dimensões de uma nova dinâmica social, explanando um avanço em termos de reflexões e tendências, que cotiza um progredir ético na sociedade em rede. As conclusões sinalizam que dados empíricos de caráter contábil, relativo às corporações, servem como aliados a novos esquemas interpretativos no valor da “imagem” empresarial. Reafirma também que a transparência, no avançar das demandas sociais para a gestão ética, agrega valor às empresas de tal modo que seus câmbios situam um quadro transformador na sociedade do conhecimento – concentrando claros ganhos sociais e representando objetivos bem estruturados para as empresas.

Palavras-chave: Acesso à informação. Direitos civis. Gestão de negócios. Sociedade da informação. Transparência. 

COMPANIES AND THE INTERFACE OF TRANSPARENCY OF THE DEMOCRATIC STATE OF LAW: reflections, concepts band trends

Abstract

This paper examines and presents the characteristics of the phenomenon known as transparency and how it places itself as a value for companies in the democratic rule of law. The method of analysis comprises a literature review on the phenomenon of transparency and, in the state of the art of discussions, the changes made in the way of distributing transparency in the organizational sphere are investigated, thus situating its correlations and consequences and appeals in business ethics. The result shows that the transparency phenomenon places considerable changes in the sense of becoming an “economic value”; and in this scenario, accounting procedures advance by making an active directive interface of changes arising from the historic eras of revolutions. He emphasizes that transparency creates a constructive process for the dimensions of a new social dynamic, explaining an advance in terms of reflections and trends, which contributes to an ethical progress in the networked society. The conclusions indicate that empirical data of an accounting nature, related to corporations, serve as allies to new interpretative schemes in the value of the corporate “image”. It also reaffirms that transparency, in advancing social demands for ethical management, adds value to companies in such a way that their changes place a transformative framework in the knowledge society - concentrating clear social gains and representing well-structured objectives for companies.

Keywords: Access to information. Civil rights. Information management. Information society. Transparency. 


Palavras-chave


Acesso à informação; Direitos civis; Gestão de negócios; Sociedade da informação; Transparência

Texto completo:

PDF

Referências


ALBAGLI, Sarita. Sociedade da Informação e do Conhecimento: desafios teóricos e empíricos | Information and Knowledge Society: theoretical and empirical challenges. Liinc em revista, n. 1, v. 3, 2007. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/v/94114. Acesso em: 7 jun. 2020.

ASSIS, Renato Viola de. Dinâmica organizacional da empresa moderna: as relações de trabalho frente às transformações político-econômicas do século XXI. 2008. [97], 158 f. Dissertação (Mestrado em Direito) - Universidade Metodista de Piracicaba. Disponível em: www.unimep.br/phpg/bibdig/pdfs/2006/RGCNTLPJMVJB.pdf . Acesso em: 19 fev. 2020.

BAILLY, Antoine. Les concepts de la geographie humaine. 5. ed. Paris: Armand Colin, 2005. 333 p.

CARVALHO, Isabel Cristina Louzada; KANISKI, Ana Lúcia. A sociedade do conhecimento e o acesso à informação: para que e para quem?. Ci. Inf., Brasília , v. 29, n. 3, p. 33-39, Dez. 2000 . Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0100-19652000000300004. Acesso em: 17 fev. 2020.

CASTELLS, Manuel. A galáxia da Internet: reflexões sobre a Internet, os negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2003. 243 p. (Coleção interface).

CORREA, Fabio; RIBEIRO, Jurema Suely de Araújo Nery; PINHEIRO, Marta Macedo Kerr. Aspectos da economia da informação: arquétipo conceitual econômico e social. Informação & Informação, Londrina, n. 1, v. 22, p. 185-214, 2017. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/v/33553. Acesso em: 7 jun. 2020.

EXAME (Brasil). As marcas mais valiosas de 2019, segundo ranking da Interbrand: o valor total das 100 principais marcas chega a 2,3 trilhões de dólares, 5,7% a mais ante 2018, 2019. Disponível em: https://exame.com/marketing/as-marcas-mais-valiosas-de-2019-segundo-ranking-da-interbrand/. Acesso em: 17 out. 2019.

FINQUELIEVICH, Susana. La innovación, la sociedad civil y la economía del conocimiento. DataGramaZero, [s. l.], n. 2, v. 6, 2005. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/v/5638. Acesso em: 7 jun. 2020.

GARRISON, Ray H.; NOREEN, Eric W.; BREWER, Peter C. Contabilidade gerencial. 11. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2007.

GERBASI, Vinicius Aleixo. Sociedade da informação: a lógica instrumental do acesso à informação e ao conhecimento. Informação em Pauta, Fortaleza, n. 1, v. 2, p. 96-118, 2017. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/v/40810. Acesso em: 7 jun. 2020.

JAMIL, George Leal; NEVES, Jorge Tadeu de Ramos. A era da informação: considerações sobre o desenvolvimento das tecnologias da informação. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 5, n. 1, nov. 2007. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/v/3581. Acesso em: 19 abr. 2020.

LEME, Alessandro André. Neoliberalismo, globalização e reformas do estado: reflexões acerca da temática. Barbaroi, Santa Cruz do Sul, n. 32, p. 114-138, jun. 2010. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-65782010000100008. Acesso em: 4 jun. 2019.

LIPOVETSKY, Gilles. Metamorfoses da cultura liberal: ética, mídia e empresa. Porto Alegre: Sulina, 2004.

MENDES, Auro Aparecido. Reestruturações produtivas e organizacionais na atividade industrial e gerenciamento ambiental. In: ORTIGOZA, Silvia Aparecida Guarnieri; CORTEZ, Ana Tereza Caceres (Org.). Da produção ao consumo: impactos sócio-ambientais no espaço urbano. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009,

p. 63-90. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/109101. Acesso em: 07 jun. 2020.

MIGUEL, Marcelo Calderari. Múltiplos olhares em prol da qualidade de serviços biblioteconômicos. Revista ACB, Florianópolis, v. 22, n. 2 ESPECIAL, p. 192-207, jul. 2017. ISSN 1414-0594. Disponível em: https://revista.acbsc.org.br/racb/article/view/1312. Acesso em: 23 fev. 2020.

MIGUEL, Marcelo calderari; SILVEIRA, Rogério Zanon da. Sistema de informação contábil e a tomada de decisão: um dilema que envolve a questão da qualidade informacional nas organizações. Regrad: Revista Eletrônica de Graduação do UNIVEM, Marília, v. 11, n. 01, p. 129 -147, ago. 2018. Disponível em: https://revista.univem.edu.br/REGRAD/article/view/2557. Acesso em: 11 jun. 2019..

MUNDO DO MARKETING (Brasil). Apple, Google e Coca-Cola são as três marcas mais valiosas do mundo: gigantes de tecnologia estão nas primeiras posições há quatro anos consecutivos. 2016. Disponível em: https://www.mundodomarketing.com.br/ultimas-noticias/36838/apple-google-e-coca-cola-sao-as-tres-marcas-mais-valiosas-do-mundo.html. Acesso em: 17 out. 2019.

OLIVEIRA, Alexandre Martins Silva de et al. Contabilidade internacional: gestão de riscos, governança corporativa e contabilização de derivativos. São Paulo: Atlas, 2008.

PEREIRA, Maria de Nazaré de Freitas; RIBEIRO, Claudio Jose Silva; TRACTENBERG, Leonel; MEDEIROS, Precila Loureiro. Bases de dados na economia do conhecimento: a questão da qualidade.Ciência da Informação, n. 2, v. 28, 1999. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/v/19509. Acesso em: 07 jun. 2020.

PINHEIRO, Fábio Araújo. O postulado do usuário: incentivo ao desenvolvimento da teoria da contabilidade e do contabilista. Cad. estud., São Paulo, n. 16, p. 1 - 8, dec. 1997. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-92511997000300004. Acesso em: 4 maio 2016.

SANTOS, Carlos Roberto Praxedes dos; MAURER, Camila. Potencialidades e limites do fact-checking no combate à desinformação. Comunicação & Informação, Goiânia, v. 23, 2020. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/v/137927. Acesso em: 7 jun. 2020.

TIGRE, Paulo Bastos. Gestão da inovação: a economia da tecnologia no Brasil. Rio de Janeiro: Elsevier: Campus, 2006. 282 p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Bibliomar

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

ISSN 2526-6160

 

 

INDEXADORES E BASES BIBLIOGRÁFICAS:


LATINDEX

Directory of Open Access Journals

 

logo_livre2.png

Resultado de imagem para redib

 

 BASE Logo

https://sumarios.org/search/node/revista%20bibliomar

 

Ver a imagem de origem

 VISITANTES MUNDIAIS DA REVISTA BIBLIOMAR: