FOLKSONOMIA: a tagzação da informação na era digital

Luana Barbosa Moraes, Paulo Mauricio Santos Lobo

Resumo


Discute a perspectiva da folksonomia como uma nova forma de representação da informação nos ambientes digitais. Busca esclarecer como essa prática surgiu e como se incorporou no cotidiano dos usuários da informação. A problemática se define a partir do seguinte questionamento: de que forma a folksonomia foi incorporada como uma prática de representação da informação no ambiente virtual. Sendo assim, o estudo propõe relacionar a folksonomia e o seu papel como indexação virtual, para a representação da informação por meio de recursos disponíveis na Web 2.0, as tags e analisar a relação do usuário como produtor e consumidor das folksonomia em espaços colaborativos como a rede social “Flickr”. A metodologia da pesquisa é conduzida pela abordagem qualitativa para a observação de um fenômeno contido em bibliografias e em documentos presentes em bases de dados como Brapci e Peri, que auxiliou a estruturação e formulação de ideias sobre os tópicos e assuntos abordados ao revelar a produção científica na área, tal qual os posicionamentos dos principais autores, como: Wal (2007), que contribuiu para o entendimento sobre o que é a folksonomia; Guedes e Dias (2010) para compreender a folksonomia como uma indexação virtual; Santos (2013) autor que analisa a relação usuário-folksonomia. A abordagem confirma que a folksonomia está e continuará presente nos ambientes de compartilhamento e sociabilização da informação em virtude da crescente necessidade do usuário para com o uso da mesma.

Palavras-chave: Folksonomia. Indexação virtual. Representação da informação. Redes sociais.

FOLKSONOMY: THE TAGS OF INFORMATION IN THE DIGITAL ERA

Abstract

It discusses the perspective of folksonomy as a new way of representing information in digital environments. It seeks to clarify how this practice came about and how it was incorporated into the daily lives of information users. The problem is defined based on the following question: how folksonomy was incorporated as a practice of representing information in the virtual environment. Therefore, the study proposes to relate folksonomy and its role as virtual indexing, for the representation of information through resources available on Web 2.0, the tags; seeking to analyze the user's relationship as a producer and consumer of folksonomies in collaborative spaces such as the social network “Flickr”. The research methodology is driven by the qualitative approach to the observation of a phenomenon contained in bibliographies and in documents present in databases such as Brapci and Peri, which helped to structure and formulate ideas on the topics and subjects covered when revealing scientific production in the area, as well as the positions of the main authors, such as: Wal (2007), who contributed to the understanding of what folksonomy means; Guedes and Dias (2010) to understand folksonomy as a virtual indexing; Santos (2013) author who analyzes the user-folksonomy relationship. The approach confirms that folksonomy is and will always continue to be present in the environments of sharing and socializing information due to the growing need of the user who use it.

Keywords: Folksonomy. Virtual indexing. Information representation. Social networks.


Palavras-chave


Folksonomia; Indexação virtual; Representação da informação; Redes sociais

Texto completo:

PDF

Referências


CAMPOS, L.F.B. Web 2.0, biblioteca 2.0 e ciência da informação: um protótipo para disseminação seletiva de informação na Web utilizando mashups e feeds RSS. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 8., 2007, Salvador. Anais [...]. Salvador: Ancib, 2007. Disponível em: http://www.enancib.ppgci.ufba.br/artigos/GT2--232.pdf. Acesso em: 15 set. 2018.

CATARINO, M.; BAPTISTA, A. Folksonomia: um novo conceito para a organização dos recursos digitais na web. Data Grama Zero, Rio de Janeiro, v. 8, n. 3, 2007. Disponível: http://www.brapci.inf.br/index.php/article/download/7548. Acesso em: 26 set. 2018.

FLICKR. Disponível em: https://www.flickr.com/search/?text=Carros. Acesso em: 22 set. 2018.

GUEDES, R. M.; DIAS, E. J. W. Indexação social: abordagem conceitual. Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis, v. 15, n. 1, p. 3953, jan./jun. 2010. Disponível em: https://revista.acbsc.org.br/racb/article/view/686/pdf_17. Acesso em: 22 set. 2018.

GUEDES, R. M.; MOURA, M. A.; DIAS, E. J. W. Indexação social e pensamento dialógico: reflexões teóricas. Informação & Informação, Londrina, v. 16, n. 3, p. 4059, jan./jun. 2011. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/10477. Acesso em: 26 set. 2018.

GUEDES, R. M.; MOURA, M. A.; DIAS, E. J. W. A abordagem dialógica na indexação social. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 11., 2010, Rio de Janeiro. Anais [...]. Rio de Janeiro: Ancib, 2010. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/article/download/18608. Acesso em: 22 set. 2018.

HASSAN­MONTERO, Y. Indización social y recuperación de información. No Solo Usabilidad Journal, Granada, n. 5, nov. 2006. Disponível em: http://www.nosolousabilidad.com/articulos/indizacion_social.htm. Acesso em: 22 set. 2018.

MARLOW, C. et al. Position paper, tagging, taxonomy, flickr, article, toread. [S. l.: s. n.], 2006. Disponível em: http://www.danah.org/papers/WWW2006.pdf. Acesso em: 22 set. 2018.

RECUERO, R. da C. Comunidades em redes sociais na internet:

proposta de tipologia baseada no fotolog.com. Tese (Doutorado em Comunicação e Informação) - Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006. Disponível em: http://www.raquelrecuero.com/teseraquelrecuero.pdf. Acesso em: 26 set. 2018.

SANTOS, H. P. Etiquetagem e folksonomia: o usuário e sua motivação para organizar e compartilhar informação na web 2.0. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v.18, n.2, p.91-104, abr./jun. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/pci/v18n2/07.pdf. Acesso em: 22 set. 2018.

SANTOS, T. H. do N. A taxonomia e a folksonomia na recuperação da informação: um estudo no acervo de imagens da Fundação Marques da Silva (FIMS). 2017. 396 f. Tese (Doutorado em Informação e Comunicação) - Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro, Aveiro, 2017. Disponível em: https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/105840/2/202344.pdf. Acesso em: 26 set. 2018.

VIGNOLI, R. G.; ALMEIDA, P. O. P. de; CATARINO, M. E. Folksonomias como ferramenta da organização e representação da informação. Revista digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, São Paulo, v.12, n.2, p.120-135, 2014. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/1606. Acesso em: 25 set. 2018.

WAL, T. W. Folksonomy. [S. l.: s. n.], 2007. Disponível em: http://www.vanderwal.net/folksonomy.html. Acesso em: 22 set. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Bibliomar

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

ISSN 2526-6160

 

 

INDEXADORES E BASES BIBLIOGRÁFICAS:


LATINDEX

Directory of Open Access Journals

 

logo_livre2.png

Resultado de imagem para redib

 

 BASE Logo

https://sumarios.org/search/node/revista%20bibliomar

 

Ver a imagem de origem

 VISITANTES MUNDIAIS DA REVISTA BIBLIOMAR: