SEXO LÍQUIDO: as relações entre a erótica weberiana e o pensamento de Bauman

Caio César Pedron

Resumo


A modernidade é marcada pelo desenvolvimento progressivo da racionalidade e pela separação dos subsistemas sociais, este é o eixo central do qual parte Max Weber para referendar uma análise da esfera erótica, ou seja, da esfera de intelectualização do sexo e de reconhecimento deste como elemento central nas narrativas contemporâneas do amor. Este trabalho tem como principal objetivo a rediscussão da esfera erótica weberiana sob o prisma moderno-tardio do pensamento de Zigmunt Bauman quanto ao amor, atentando para os nexos relacionais estabelecidos entre as duas análises e salientando aquilo que cada uma, em sua especificidade, pode produzir de significativo na releitura do sexo e de sua relação conturbada e produtiva com o pensamento atual.

Palavras-chave


Erótica, Weber, Bauman, Modernidade.

Texto completo:

PDF

Referências


BAUMAN, Zigmunt. Amor Líquido: sobre a fragilidade dos laços humanos. Rio de Janeiro: Zahar, 2004.

BAUMAN, Zigmunt. A Sociedade Individualizada: vidas contadas e histórias vividas. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

BAUMAN, Zigmunt, TESTER, Keith. Bauman sobre Bauman: Diálogos com Keith Tester. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

BAUMAN, Zigmunt. Ética pós-moderna. São Paulo: Paulus, 1997.

BAUMAN, Zigmunt. Identidade: Entrevista a Benedetto Vecchi. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

BAUMAN, Zigmunt. Modernidade e Holocausto. Rio de Janeiro: Zahar, 1998.a.

BAUMAN, Zigmunt. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

BAUMAN, Zigmunt. O mal estar na pós modernidade. Rio de Janeior: Zahar, 1998.b.

BAUMAN, Zigmunt. Modernidade e Ambivalência. Rio de Janeiro: Zahar, 1999.

BAUMAN, Zigmunt. Vida à Crédito. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

BOZON, Michel. Sociologia da Sexualidade. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004.

PALLARES-BURKE, Maria Lúcia Garcia. Entrevista com Zigmunt Bauman, Revista Tempo Social: São Paulo- USP, v.16 n.1. jun, 2004, p.301-328.

COHN, Gabriel. Crítica e Resignação: Fundamentos da sociologia de Max Weber. São Paulo: T.A Queiroz,1979.

DEBORD, Guy. A Sociedade do Espetáculo. Ebook Brasil, 2003.

ELIAS, Norbert. A sociedade dos indivíduos. Coautoria de Michael Schroter. Rio de Janeiro, RJ: Jorge Zahar, 1994.

FREUD, Sigmund. (1901-1905). Moral Sexual Civilizada e Doença Nervosa Moderna. Trad. Sob a direção de Jayme Salomão. Rio de Janeiro:Imago, 1977.(Edição Standart Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud,v.9).

FREUD, Sigmund. Totem e Tabu: Algumas concordâncias entre a vida psíquica do homem primitivo e a dos neuróticos. São Paulo: Penguin Classics Companhia das Letras,2013.

FREUD, Sigmund. Introdução ao Narcisimo, Ensaios de Metapsicologia e Outros Textos. Trad. Sob a direção de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das letras, 2010.a.

FREUD, Sigmund. O Mal estar na cultura. 2 ed. Porto Alegre: L&PM Poket, 2010.b.

FREUD, Sigmund. Totem e Tabu: Algumas concordâncias entre a vida psíquica do homem primitivo e a dos neuróticos. São Paulo: Penguin Classics Companhia das Letras,2013.

FOCAULT, Michel. História da Sexualidade: A Vontade de Saber I. vl.1,ed.13. Rio de Janeiro: Graal, 1999.

FOCAULT, Michel. Segurança, Território e População: Curso dado no Collège de France (1977-1978). São Paulo: Martins Fontes, 2008.

GOMPERTZ, Will. Isso é arte? : 150 anos de arte moderna do impressionismo até hoje. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

GIDDENS, Anthony. A transformação da intimidade: sexualidade, amor e erotismo nas sociedades modernas. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista, 1993.

GIRON, Luís Antônio. Zigmunt Bauman: “Vivemos o fim do futuro”. Disponível em < http://epoca.globo.com/ideias/noticia/2014/02/bzygmunt-baumanb-vivemos-o-fim-dofuturo.html> Consulta: 24/02/2017 às 15:30.

GREEN, Martin. The Von Richthofen Sisters. Basic Book’s inc: New York, 1974.

HARAWAY, Donna. Saberes localizados: a questão da ciência para o feminismo e o privilegio da perspectiva parcial. Campinas: Cadernos Pagu (Unicamp), v.5, 1995, p.07-41.

ILLOUZ, Eva. O amor nos tempos do capitalismo. Rio e Janeiro: Zahar, 2011.

KENT, Stephen. Research Note: Weber, Goethe and William Penn: Themes of Marital Love. Sociological Analysis, v.46,n.3, 1985, p.315-320.

LEPSIUS, Mário Rainer. Mina Tobler and Max Weber: Passion Confined. Max Weber Studies: London, v.4.n.1.jan, 2004.p.9-21.

MACRAE, Donald. G. As ideias de Weber. São Paulo: Cultrix, 1974.

MARCUSE, Herbert. Eros e Civilização: Uma Interpretação Filosófica do pensamento de Freud. 6.ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1975.

MARX, Karl. O Capital: crítica da economia política. v.l. São Paulo: BOITEMPO. 2013.

MIRANDA, Paulo Enrique Façanha de. Das palavras à vida; o prazer em Max Weber. 2009. 181 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes. Programa de Pós Graduação em Ciências Sociais, 2009.

MITZMAN, Arthur. The Iron Cage: an historical interpretation of Max Weber. New Jersey: Transaction Publiction,2002.

PIERUCCI, Antônio Flávio. Reencantamento e Dessecularização: A Propósito do Auto-engano em sociologia da religião. Conferência pronunciada no VIII Congresso da Sociedade Brasileira de Sociologia, "A contemporaneidade brasileira: dilemas e desafios para a imaginação sociológica". Brasília, UnB, agost, 1997.

PIERUCCI, Antônio Flavio. O sexo como salvação neste mundo: A erótica Weberiana nos ensaios reunidos de sociologia da religião. Comunicação VIII Jornadas sobre alternativas religiosas na américa latina. São Paulo,set,1998.a.

PIERUCCI, Antônio Flavio. Secularização em Max Weber: Da Contemporânea Serventia de voltarmos a acessar* aquele velho sentido**. Revista Brasileira de Ciências Sociais: São Paulo v.13 n.37. jun,1998.b.

PIERUCCI, Antônio Flávio. O desencantamento do Mundo: Todos os passos do conceito em Max Weber. 2 ed, São Paulo: Editora 34,2005.

SAINT- PIERRE, Héctor L. Max Weber: Entre a paixão e a Razão. Campinas: Editora Unicamp. 1994.

SARTRE, Maurice. A Homossexualidade na Grécia Antiga in: DUBY, Georges (org). Amor e Sexualidade no Ocidente. Lisboa: TERRAMAR, 199-.

SCHWENTKER, Wolgang. A Paixão como um modo de vida: Max Weber, o círculo de Otto Gross e o erotismo. Revista Brasileira de Ciências Sociais- AMPOCS. São Paulo. v.11 n. 32. out. 1996.

SELL, Carlos Eduardo. Max Weber e a racionalização da vida. Petrópolis: Vozes, 2013.

SENNET, Richard. O Declínio do Homem Público: as tiranias da intimidade. São Paulo: Companhia das letras, 1988.

SOUZA, Jessé. Patologias da Modernidade: Um diálogo entre Habermas e Weber. São Paulo: Annablume,1997.

RADKAU, Joachim. Max Weber: A Biography. Cambridge, UK: Polity Press, 2009.

RADKAU, Joachim. Joachim Radkau replies to his critics: Reviving a Icon or, Eros versus Logos in Max Weber revisited. Max Weber Studies. v.10.n.1. jan. 2010, p.47-69.

TURNER, Bryan S. Religion and Social Theory. 2.ed. London, UK: SAGE, 1991.

WEBER, Marianne. Max Weber uma Biografia. Rio de Janeiro: Casa Jorge,2003.

WEBER, Max. Ensaios de Sociologia: e outros ensaios. Seleção de Maurício Tratemberg. Coleção os Pensadores – História das Grandes Idéias do Mundo Ocidental. São Paulo: Abril Cultural, 1974.




Direitos autorais 2017 Cadernos Zygmunt Bauman

ISSN 2236-4099