A INSERÇÃO DO MARKETING NA GESTÃO EDUCACIONAL E SEU ESTOFO POLÍTICO

Renato Nunes Bittencourt, Luís Carlos Bittencourt, Ediana Abreu Avelar

Resumo


Este artigo se propõe a refletir sobre utilização das ferramentas de marketing na gestão das instituições superiores de ensino. Apresenta o marketing como parte fundamental do sistema liberal capitalista, embora tenha sido sistematizado apenas no final do Século XX. Demonstra que hoje a orientação para o mercado está presente na gestão das maiores universidades brasileiras, principalmente as privadas, e defende a prática de um marketing educacional pautado em geração de valores permanentes de responsabilidade social. 


Palavras-chave


Marketing; Educação; Capitalismo; Cultura

Texto completo:

PDF

Referências


DELORS, Jacques. Educação: um tesouro a descobrir. São Paulo: Cortez, 2004.

FÁVERO, Maria de Lourdes de Albuquerque. Universidade e Poder: análise crítica – fundamentos históricos: 1930-45. Brasília: Plano. 2000.

HAYEK. F.A. O caminho da Servidão. São Paulo: Instituto Ludwig von Mises Brasil, 2010.

KLEIN, Naomi. Sem logo – A tirania das marcas em um planeta vendido. 4ed. Rio de Janeiro: Record, 2002.

KOTLER, Philip e FOX, Karen F.A. Marketing estratégico para instituições educacionais. São Paulo: Atlas, 1994.

KOTLER, Philip. Administração de marketing: a edição do novo milênio. São Paulo: Prentice Hall, 2000.

PORTER, Michael. Vantagem competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. Rio de Janeiro: Campus, 1989.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A universidade no século XXI: para uma reforma democrática e emancipatória da universidade. São Paulo: Cortez, 2004.




Direitos autorais 2017 Cadernos Zygmunt Bauman

ISSN 2236-4099