O CRISTIANISMO INQUIETO NO PENSAMENTO FILOSÓFICO DE KIERKEGAARD E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A CONTEMPORANEIDADE

Tales Macedo da Silva, Degislando Nóbrega de Lima

Resumo


A inquietação é uma característica de nossa existência. Isto não é diferente para aqueles que seguem a Cristo, como referência primordial da sua existência. Em Kierkegaard, que empreendeu uma constante busca para a vivência verdadeiramente autêntica do cristianismo, não foi diferente. Esta busca se expressa na forma de relação inquieta com a fé em face da configuração religiosa dinamarquesa de sua época que, na sua percepção, estava muito focada, nas conveniências das íntimas relações com o Estado e não na conscientização da relação pessoal, singular de fiel com Cristo. A partir desta apreciação, Kierkegaard introduz a discussão sobre o tornar-se cristão, a partir do suposto que ser cristão não é um dado congelado, mas sim uma constante busca. A crítica de Kierkegaard a essa espécie de cristianismo de conveniências em vista de conquista de privilégios e segurança de diversas naturezas continua pertinente na contemporaneidade em face de variadas tendências de representação do cristianismo no Brasil. 

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2017 Cadernos Zygmunt Bauman

ISSN 2236-4099