Aspectos sócio-históricos e antropológicos e suas relações com a Economia no território da cidadania do planalto norte catarinense

Edenir Assis Leite de Paula Rocha, Sandro Luiz Bazzanella, Jairo Marchesan

Resumo


Para analisar a gênese e a conformação de uma economia local e, ou regional torna-se importante conhecer aspectos antropológicos constitutivos da dinâmica social, política, histórica de povoamento da região pesquisada. Nesta direção, este artigo é resultante de estudos de aspectos constitutivos do Território da Cidadania do Planalto Norte (TCPN) do Estado de Santa Catarina e sua relação com a conformação das atuais atividades econômicas predominantes no referido território. Realizou-se uma pesquisa bibliográfica a partir de artigos científicos e obras selecionadas, bem como em documentos sobre etnias e suas práticas econômicas, que adentraram e constituíram o território do Planalto Norte Catarinense a partir do século XVIII. Nesta direção, a pesquisa cotejou estudos e análises em torno das antigas e atuais atividades econômicas desenvolvidas no referido território, com o intuito de incentivar e ampliar a partir de análises sócio históricas e econômicas o debate, as considerações e reflexões sobre as origens das atividades econômicas regionais e seu desenvolvimento na atualidade, como contribuição a compreensão da complexa realidade do Território da Cidadania do Planalto Norte do Estado de Santa Catarina.


Palavras-chave


Aspectos antropológicos, Território do Planalto Norte, Atividades Econômicas

Texto completo:

PDF

Referências


AMPLANORTE (Associação dos Municípios do Planalto Norte). Disponível em: . Acesso em 03 de Mai. 2014.

AMUNESC (Associação dos Municípios do Nordeste de Santa Catarina). Disponível em: . Acesso em 03 de Mai. 2014.

AMARP (Associação dos Municípios do Alto Vale do Rio do Peixe). Disponível em: . Acesso em 05 de Mai. 2014.

BRASIL. Atlas do Desenvolvimento. Disponível em: Acesso em: 15 de jul. 2014.

BRASIL. Decreto Presidencial de 25.02.2008. Disponível em: . Acesso em: 07 de fev. 2015.

BRASIL. MDA (Ministério do Desenvolvimento Agrário). Brasília, DF. 2006. Disponível em: .Acesso em 26 mai. 2014.

Cunha, Idaulo J. Evolução Econômico-Industrial de Santa Catarina. Florianópolis: FCC, 1982.

Cruz, Bruno de O. (coord.) [et al.]. Economia regional e urbana: teorias e métodos com ênfase no Brasil. Brasília: Ipea, 2011.

Faoro, Raymundo. Os Donos do Poder: Formação do patronato político brasileiro. 3ª Ed. Rio de Janeiro, Globo, 2001.

Filho, Alcides G. Padrões de crescimento e diferenciação econômica em Santa Catarina. Campinas: Unicamp. 2001. Tese de doutorado.

FUNAI. (Fundação Nacional do Índio). Disponível em: . Acesso em: 10 de Set. 2018.

Gadelha, Regina M. d'A. F. (2013). “A lei de terras (1850) e a abolição da escravidão capitalismo e força de trabalho no Brasil do século xix”. Revista de História, 2º semestre 2013, nº 169. USP. Disponível em http://www.revistas.usp.br/revhistoria/index.

Gallo, Ivone Cecília D’Á. O Contestado: O sonho do milênio igualitário. Campinas: Unicamp, 1999.

IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Senso 2010. Disponível em: Acesso em: 15 de jul. 2014.

Knorek, Rocha, Jonas Maciel, Terezinha Scziminski, Patrícia Jacobs. “Territórios da Cidadania em Santa Catarina: As Ações do Estado Voltadas para o Desenvolvimento Regional”. Anais. LII Congresso da SOBER. Disponível em: http://sober.org.br/congresso2014/. Acesso em 14 de Fev. de 2015.

KNOREK, Reinaldo (Org). Território da cidadania: políticas e desenvolvimento. Curitiba: CRV, 2016.

Lebrun, Gérard. O que é o poder. 9ª edição. São Paulo: Editora Brasiliense, 1984

Lima, Soeli R. S. (2013) “Capital Transnacional na Região do Contestado: os sinais de modernidade no processo de ocupação”, en: DALLABRIDA, Valdir R. (coord.). Território, identidade territorial e desenvolvimento regional: reflexões sobre indicação geográfica e novas possibilidades de desenvolvimento com base em ativos com especificidade territorial. São Paulo: Liber Ars, 2013. Cap. 3. Pg. 63-86.

Machado, Paulo P. Lideranças do Contestado: a formação das chefias caboclas (1912-1916). Campinas, SP. Editora da Unicamp, 2004.

Machado, Soeli R. S. (2012) Capital Transnacional na Região do Contestado: um estudo de caso da Southem Brazil Lumber And Colonization Company em Três Barras (SC). DRd – Desenvolvimento Regional em debate, Ano 2, n. 1, jul. p. 31-

Disponível em: . Acesso em: 23 de jul. de 2014.

Marchesan, Jairo. (2013) “A paisagem natural na região do contestado: da exuberância da mata nativa do passado à cobertura vegetal com espécies exóticas no presente”, en: DALLABRIDA, Valdir R. (coord.). Território, identidade territorial e desenvolvimento regional: reflexões sobre indicação geográfica e novas possibilidades de desenvolvimento com base em ativos com especificidade territorial. São Paulo: Liber Ars. 2013. cap. 3, p. 15-32.

PARANÁ. ITCG (Instituto de Terras, Cartografia e Geociências). Disponível em: . Acesso em: 02 de fev. 2014.

Santos, Milton. Sociedade e espaço: a formação social como teoria e como

Método. Boletim Paulista de geografia, nº 54, 1977.

Santos, Milton. Por uma Geografia Nova. São Paulo: Hucitec, Edusp, 1978.

Saquet, Marcos A. O território: diferentes interpretações na literatura italiana. In: RIBAS, A. D.; SPOSITO, E. S.; SAQUET, M. A. Território e desenvolvimento: diferentes abordagens. Francisco Beltrão: Unioeste, 2004.

Saquet, Marcos A, S. Silva (2008). “MILTON SANTOS: concepções de geografia, espaço e território”. Geo UERJ: Ano 10, v.2, n.18, 2º semestre. P. 24-42. Disponível em:< http://www.geouerj.uerj.br/ojs>. Acesso em: 12 de Jun. de 2014.

SANTA CATARINA. Ministério Público. Disponível em: . Acesso em: 02 de fev. 2015.

SEBRAE-SC (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Santa Cataria). Santa Catarina em Números: Macrorregião Norte. Florianópolis: SEBRAE/SC, 2013. Disponível em:

. Acesso em: 15 de jul. 2014

Thisse, Jacques-François. (2011) “Geografia Econômica”, en: CRUZ, Bruno de O. [et al.] (org.). Economia regional e urbana: Teorias e métodos com ênfase no Brasil. Brasília: Ipea. 2011. cap. 1, p. 17-43.

Thomé, Nilson. Ciclo da Madeira – História da Devastação da Floresta da

Araucária e do Desenvolvimento da Indústria da Madeira no Contestado no

Século XX. Caçador: Universal, 1995.

Tomporovski, Alexandre A. O polvo e seus tentáculos: A Southern Brazil Lumber and Colonization Companye as transformações impingidas ao planalto contestado, 1910-1940. Florianópolis: UFSC, 2013. Tese de doutorado.

Valentini, Delmir J. Aspectos históricos e socioculturais da Bacia do Rio do Peixe (1906 - 1916). In. Bacia Hidrográfica do Rio do Peixe: Natureza e Sociedade. Joaçaba (SC): UNOESC, 2011.

www.territoriosdacidadania.gov.br Acesso em: 12 de jul. 2014.




Direitos autorais 2019 Cadernos Zygmunt Bauman

 
ISSN 2236-4099