THE SISSY DUCKLING: normatividade de gênero e resistência

Sara Regina De Oliveira Lima, Juliana Barros da Silva

Resumo


A literatura infantil, assim como as demais literaturas, pode viabilizar diversas temáticas e propósitos. Isso se dá por ela ser um fazer artístico intencional, pensada a partir de uma estética, um enredo e um momento que para além da aquisição da linguagem, desempenho acadêmico da criança/adolescente e do uso educativo, pode ser compreendida como fonte de indagações decorrentes de influência social, histórica e cultural. Ao levar isso em consideração é que se objetivou analisar os padrões normativos de masculinidade encontrado na obra The Sissy Duckling, de Harvey Fierstein (2005), que trata de preconceitos, aversão ao diferente e estereótipos de gênero. A análise procurou mostrar o modo com o qual a heteronormatividade apresenta-se e como é possível perceber o seu rompimento por meio de resistências frente ao binarismo de gênero. A pesquisa é de cunho bibliográfico e baseia-se em autores como Butler (2015), Louro (2009), Foucault (2014) e Connell (1995) aos quais abordam sobre gênero e sexualidades. Como resultados é possível afirmar que a obra infantil possibilita questionamentos sobre como é classificado os padrões de gênero impostos a personagem Elmer, além de revelar o seu caráter de resistência frente a tantas violências sociais, psicológicas e físicas vivenciadas por ele.

 

Palavras-chave: Literatura infantil; Gênero; Performatividade

Palavras-chave


Literatura infantil; Gênero; Performatividade; Subjetividade

Texto completo:

PDF

Referências


BENTO, B. A reinvenção do corpo: sexualidade e gênero na experiência transexual. Rio de Janeiro: Garamond, 2014.

BUTLER, J. Bodies that matter: on the discursive limits of “sex”. New York: Routledge, 2011.

BUTLER, J. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. 8° Ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015.

CANDIDO, A. Literatura e Sociedade: Estudos de Teoria e História Literária. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2010.

COELHO, N. N. Panorama histórico da literatura infantil/juvenil: das origens indo-europeias ao Brasil contemporâneo. – Barueri, SP: Manole, 2010.

COLLING, Leandro. Introdução: caras que desfazem gênero. In: COLLING, Leandro (Org.). Dissidências sexuais e de gênero. Salvador: EDUFBA, 2016.

CONNELL, R.W. Políticas da masculinidade. In: Educação & Realidade. V.20, n.2. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Educação 1995.

ERIBON, D. Reflexões sobre a questão gay. Rio de Janeiro: Companhia de Freud, 2008.

FIERSTEIN, H. The Sissy Duckling. New York: Simon & Schuster, 2005.

FELIPE, J; BELLO, A. T. Construção de Comportamentos Homofóbicos no Cotidiano da Educação Infantil. In: JUNQUEIRA, Rogério Diniz (Org.). Diversidade Sexual na Educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasília: Ministério da Educação/UNESCO, 2009.

FISCHER, E. A necessidade da arte. 9. ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.

FOUCAULT, Michel. A história da sexualidade: a vontade de saber. 23.ed. Rio de Janeiro: Editora Graal, 2013.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Tradução Raquel Ramalhete. 42. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

_______. O sujeito e o poder. 1999. Disponivel em:

˂http://www.uesb.br/eventos/pensarcomfoucault/leituras/o-sujeito-e-o-poder.pdf ˃

acesso: 08/07/17 às 15:30.

FURLANI, J. Mitos e tabus da sexualidade humana: subsídios ao trabalho em educação sexual. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

GROSSI [et al.]. Movimentos sociais, educação e sexualidade / organizadoras, Miriam Pillar Grossi [et al.]. - Rio de Janeiro: Garamond, 2005.

JUNQUEIRA, R. D. Homofobia nas Escolas: um problema de todos. In: JUNQUEIRA, Rogério Diniz (Org.). Diversidade Sexual na Educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasília: Ministério da Educação/UNESCO, 2009.

LOURO, G. L. Heteronormatividade e Homofobia. In: JUNQUEIRA, Rogério Diniz (Org.). Diversidade Sexual na Educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasília: Ministério da Educação/UNESCO, 2009.

LOURO, G. L. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

MEYER, D. E. E. Corpo, Violência e Educação: uma abordagem de gênero. In: JUNQUEIRA, Rogério Diniz (Org.). Diversidade Sexual na Educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasília: Ministério da Educação/UNESCO, 2009.

MUSZKAT, S. Violência e masculinidade. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2011.

OLIVEIRA, J. M. Desobediências de gênero. Salvador, BA: Editora Devires, 2017.

SELL, T. A. Identidade homossexual e normas sociais: histórias de vida / Teresa Adad Sell. Florianópolis: Ed. da UFSC, 1987.

RUTERANA, P. C. Using children’s literature to promote gender equality in education: the case of the fairy tale of Ndabaga in Rwanda. Rwanda Journal of Arts and Humanities, Volume 2 (2), 2017, n. 31. p. 31-43.

SEFTON, A. P. Sexualidade para além da heterossexualidade: representações de homossexualidade na literatura infanto-juvenil. Textura, n.24, jul./dez.2011. p. 53 - 74




Direitos autorais 2019 Cadernos Zygmunt Bauman

 
ISSN 2236-4099