O TEMPO DOS TRIBALISTAS: as juventudes líquidas traduzidas na música brasileira contemporânea

Rodrigo Koch

Resumo


Este artigo analisa as letras de quatro músicas do grupo Tribalistas a partir dos conceitos de Modernidade Líquida (BAUMAN 2001) e das tribos urbanas (MAFFESOLI 1998) no contexto das juventudes contemporâneas. Para esta análise, também são utilizados dados quantitativos da pesquisa Os Jovens do Ensino Médio das Regiões das Hortênsias e Encosta da Serra. As canções analisadas contribuem para traduzir as condições e características das juventudes líquidas da pós-modernidade. Os jovens apresentam configurações de identidades múltiplas, com transições da infância e adolescência para a juventude – e depois para vida adulta –, variáveis de acordo com o contexto social de cada um.

 


Palavras-chave


Juventude, Modernidade Líquida, Música, Tempo das Tribos.

Texto completo:

PDF

Referências


BAUMAN, Zygmunt. Modernidade Líquida. Tradução Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

BAUMAN, Zygmunt. Vida Líquida. Tradução Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2007.

BAUMAN, Zygmunt. Vida para consumo: a transformação das pessoas em mercadoria. Tradução Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

BAUMAN, Zygmunt. Sobre educação e juventude. Tradução Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

CANCLINI, Nestor Garcia. Diferentes, Desiguales y Desconectados. Barcelona: Editorial Gedisa, 2004.

CASTRO, Lucia Rabello de. A aventura urbana: crianças e jovens no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: 7Letras, 2004.

DAYRELL, Juarez Tarcísio. Juventude, produção cultural e Educação de Jovens e Adultos. In: SOARES, Leôncio; GIOVANETTI, Maria Amélia Gomes de Castro; GOMES, Nilma Lino (orgs.). Diálogos na educação de jovens e adultos. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

LIPOVETSKY, Gilles. Da leveza: rumo a uma civilização sem peso. Tradução Idalina Lopes. Barueri, SP: Manole, 2016.

LODI, Célia Amália; SOUZA, Solange Jobim. Juventude, cultura hip-hop e política. In: CASTRO, Lucia Rabello de; CORREA, Jane (orgs.). Juventude contemporânea: perspectivas nacionais e internacionais. Rio de Janeiro: NAU Editora/FAPERJ, 2005.

MAFFESOLI, Michel. O tempo das tribos: o declínio do individualismo nas sociedades de massa. Tradução Maria de Lourdes Menezes. 2ª ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1998.

OLIVEIRA, Adriano Machado; TOMAZETTI, Elisete Medianeira. Novos sujeitos no ensino médio? Reflexões acerca da subjetivação juvenil no cenário escolar contemporâneo. Acta Scientarium. Education. Maringá, v.32, n.1, p. 127-134, 2010.

OLIVEIRA, Adriano Machado; TOMAZETTI, Elisete Medianeira. Sobre a condição juvenil na escola contemporânea: cenários de uma crise. Atos de pesquisa em Educação – PPGE/ME FURB, v.7, n.1, p.106-121, jan./abr. 2012.

REGUILLO, Rossana. Culturas juveniles: formas políticas del desencanto. Buenos Aires: Siglo Veintiuno Editores, 2012.

SARLO, Beatriz. Cenas da vida Pós-Moderna. Intelectuais, arte e vídeo-cultura na Argentina. Tradução Sérgio Alcides. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1997.

SAVAGE, Jon. A criação da juventude: como o conceito de teenage revolucionou o século XX. Tradução Talita Rodrigues. Rio de Janeiro: Rocco, 2009.

SENNET, Richard. A corrosão do caráter: as consequências pessoais do trabalho no novo capitalismo. Tradução de Marcos Santarrita. Rio de Janeiro: Record, 2002.

TOMAZETTI, Elisete Medianeira; RAMOS, Nara Vieira; SALVA, Sueli; OLIVEIRA, Adriano Machado; SCHLICKMANN, Vitor. Os sentidos do Ensino Médio: olhares juvenis sobre a escola contemporânea. 2ª edição. São Leopoldo: Oikos, 2014.

Músicas citadas:

ANTUNES, Arnaldo; BROWN, Carlinhos; e MONTE, Marisa. Tribalistas. Rio de Janeiro: Phonomotor Records – EMI, 2002.

ANTUNES, Arnaldo; ANTUNES, Brás; BROWN, Carlinhos; e MONTE, Marisa. Um Só. Rio de Janeiro: Phonomotor Records – Universal Music, 2017.

ANTUNES, Arnaldo; BROWN, Carlinhos; CARMINHO; e MONTE, Marisa. Trabalivre. Rio de Janeiro: Phonomotor Records – Universal Music, 2017.

ANTUNES, Arnaldo; BROWN, Carlinhos; e MONTE, Marisa. Lutar e Vencer. Rio de Janeiro: Phonomotor Records – Universal Music, 2017.




Direitos autorais 2019 Cadernos Zygmunt Bauman

ISSN 2236-4099