O PSEUDOAMOR COMO UM FENÔMENO DA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA: uma proposta de diálogo entre Erich Fromm e Zygmunt Bauman

Denis Cotta

Resumo


O presente estudo visa promover um diálogo entre o psicanalista, filósofo e sociólogo Erich Fromm (1900-1980) e o sociólogo e filósofo Zygmunt Bauman (1925-2017). A premissa que permeia o diálogo entre ambos os autores se direciona a compreensão dos vínculos amorosos na sociedade contemporânea. Nessa guisa, serão apresentadas as contribuições oriundas do pensamento de Bauman que tangenciam a questão do amor e, sobretudo, a sua concepção de amor líquido. No contexto frommiano, pode-se citar as ponderações acerca das vivências amorosas, que podem ser produtivas (positivas) ou improdutivas (negativas). Além disso, Fromm elucida que as orientações de caráter do sujeito podem ser entendidas como aspectos constituintes das diversas formas de amor, entre elas as formas negativas: os pseudoamores. No que tange ao aspecto metodológico, a presente pesquisa se utilizará fundamentalmente das seguintes obras: Amor Líquido: sobre a fragilidade dos laços humanos de autoria de Bauman, e A arte de amar, de Erich Fromm. Por fim, por intermédio do diálogo entre os autores, pretende-se sublinhar os aspectos essenciais para a compreensão das problemáticas e dos desafios referentes ao ato de amar na sociedade contemporânea.


Palavras-chave


Erich Fromm, Zygmunt Bauman, Pseudoamor.

Texto completo:

PDF

Referências


BAUMAN, Z. Amor líquido: sobre a fragilidade dos laços humanos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.

BAUMAN, Z. Vida para consumo: a transformação das pessoas em mercadorias. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

FROMM, E. Análise do homem. 9. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1974.

FROMM, E. A arte de amar. Belo Horizonte: Itatiaia, 1971.

SENNETT, R. Carne e pedra: o corpo e a cidade na civilização ocidental. Rio de Janeiro: Best Bolso. 2008.




Direitos autorais 2019 Cadernos Zygmunt Bauman

ISSN 2236-4099