A obra literária de Alexandre Herculano: conjunção entre indivíduo e nação

Carla Carvalho Alves

Resumo


As análises críticas da obra literária de Alexandre Herculano apresentam-se, ainda hoje, inconsistentes e lacunares. Dois fatores, principalmente, concorreram para tal situação: a grande expressão pública do autor e a concentração da crítica e do público leitor em torno de Eurico, o presbítero. A apreciação literária referente ao restante da obra ficcional parece um tanto contaminada, ou mesmo limitada, por esses fatos, tendo como consequência a incompreensão e omissão de elementos literários incompatíveis com determinadas expectativas já cristalizadas. Pretendemos, então, estabelecer algumas reflexões relativas à obra ficcional de Herculano, buscando revisar a linhagem crítica estabelecida e retratar aspectos até agora negligenciados. Para isso, abordaremos criticamente uma questão comumente destacada em análises referentes à obra herculaniana: a exemplaridade do passado medieval para um presente em decadência, constituída pelo modelo heroico atribuído à conjunção entre o indivíduo e a nação.

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Afluente: Revista Eletrônica de Letras e Linguística

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

ISSN 2525-3441


INDEXADORES:


http://diadorim.ibict.br/bitstream/1/1301/1/azul.jpg

Resultado de imagem para latindex

 

 

  Resultado de imagem para livre revistas de livre acesso

 

VISITANTES MUNDIAIS DA AFLUENTE: REVISTA DE LETRAS E LINGUÍSTICA