NERVOUS CONDITIONS: A LITERATURA AFRICANA ESCRITA POR MULHERES E O TEMA DA EDUCAÇÃO FORMAL

Cláudia Regina Soares, Divanize Carbonieri

Resumo


Este artigo está organizado em dois momentos principais. O primeiro traz a discussão a respeito da recepção crítica em torno da literatura africana escrita por mulheres e do seu desenvolvimento. O segundo instante se refere à analise da construção do tema da educação formal no romance Nervous conditions (1988) de Tsitsi Dangarembga. Os dois fragmentos têm em comum o exame da importância da educação formal para a transformação da situação das mulheres africanas. Mesmo que seja vista como algo que pode trazer prejuízos, sobretudo em relação a importantes valores culturais, a educação formal de molde ocidental parece se levantar, na obra analisada, como algo imprescindível para a emancipação feminina no contexto africano. Essa é pelo menos a esperança da protagonista Tambu, que se aferra as suas oportunidades de obter educação, com a esperança de poder ter uma vida mais livre do que as outras mulheres de sua família. Nesse sentido, talvez ainda falte, no romance de Dangarembga, um questionamento mais profundo a respeito do reforço de uma perspectiva eurocêntrica, presente numa educação desse tipo.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Afluente: Revista Eletrônica de Letras e Linguística

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

ISSN 2525-3441


INDEXADORES:


http://diadorim.ibict.br/bitstream/1/1301/1/azul.jpg

Resultado de imagem para latindex

 

 

  Resultado de imagem para livre revistas de livre acesso

 

VISITANTES MUNDIAIS DA AFLUENTE: REVISTA DE LETRAS E LINGUÍSTICA