A autoconfrontação e o gênero da atividade aula

Maria Ieda Almeida Muniz

Resumo


Este estudo investiga a linguagem em situação de trabalho, propondo a observar o gênero aula com as ações que o regem, colocando o aprendiz de professor como o elo entre alunos e saberes. Por meio desta pesquisa, o aprendiz de professor e os pesquisadores poderão refletir quanto aos procedimentos adotados na atividade de trabalho. Com base nisso, buscaremos responder ao seguinte questionamento: como se caracteriza o gênero da atividade do aprendiz de professor? Para isso, será caracterizado o gênero aula valendo-nos de reflexões sobre gêneros do discurso e gênero da atividade. A partir do dispositivo teórico-metodológico de Bakhtin (1997), da ergologia com Schwartz (1997), da Psicologia do trabalho com Clot (2007) e de reflexões dos estudos sobre o trabalho e linguagem com Souza-e-Silva (2004), entre outros, analisaremos enunciados produzidos em trechos de aula e de discursos produzidos na autoconfrontação simples. Chegamos à conclusão de que o aprendiz de professor é dotado de qualidades e curiosidades que possibilitam um espaço reflexivo diferente daquele construído em relação aos profissionais que exercem essa profissão há muito tempo. Essas ações podem ser mais bem entendidas considerando que há no aprendiz a necessidade de aprender a ensinar e a de ensinar a aprender.


Palavras-chave


Gênero da atividade; Autoconfrontação; Ensino/aprendizagem.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Afluente: Revista Eletrônica de Letras e Linguística

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

ISSN 2525-3441


INDEXADORES:

http://diadorim.ibict.br/bitstream/1/1301/1/azul.jpg

Resultado de imagem para latindex

  Resultado de imagem para livre revistas de livre acesso

 

VISITANTES MUNDIAIS DA AFLUENTE: REVISTA DE LETRAS E LINGUÍSTICA